Arrastão ou lagarteado? Dinâmicas em torno da prática docente na Fundação CASA

Autores

  • Mauricio Bacic Olic Universidade Estadual de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/s1517-97022016133882

Palavras-chave:

Fundação CASA, Prática docente, Medida socioeducativa, Etnografia, Simetria

Resumo

O presente artigo tem por objetivo desenvolver uma reflexão acerca da relação entre o fazer etnográfico e a prática docente no interior de instituições de controle social. Para isso, será explorada a posição ocupada pelo pesquisador enquanto professor que leciona em unidades de internação da Fundação CASA (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente), local onde os adolescentes que cometem atos infracionais são enviados para cumprirem medidas socioeducativas previstas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O envolvimento dentro da rotina da instituição permite que a narrativa seja construída por meio de um movimento simétrico, em que o professor pode experimentar e ser afetado pelos diferentes dispositivos que buscam se territorializar nas unidades. Por ser tratar de um ambiente de controle social marcado por relações conflituosas, a descrição etnográfica simétrica assume uma perspectiva tensa, pois a prática docente e a construção de vínculos no interior da instituição apresentam uma série de riscos e perigos, que podem levar o professor a ser cooptado pelas forças normativas que compõem os coletivos dos funcionários e dos adolescentes. Quando isso acontece, o professor deixa de construir uma postura mediadora de simetrização, ao mesmo tempo em que acaba se tornando um intermediário que fortalece os coletivos que buscam dominar a rotina institucional. Sendo assim, a prática docente nas unidades da Fundação CASA caracteriza-se como um exercício arriscado, na medida em que a qualquer momento o professor pode se transformar em um arrastão ou em um lagarteado. Em um caso, ele é mais um operador das normas institucionais, no outro, o professor perde o limite do envolvimento com os adolescentes e passa a atuar de acordo com a vontade dos jovens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-04-01

Como Citar

Olic, M. B. (2017). Arrastão ou lagarteado? Dinâmicas em torno da prática docente na Fundação CASA. Educação E Pesquisa, 43(2), 357-377. https://doi.org/10.1590/s1517-97022016133882

Edição

Seção

Artigos