Avaliação oficial: o que dizem os professores sobre o impacto na prática docente

  • Gisele Francisca da Silva Carvalho Universidade Federal de São João Del-Rei
  • Maria do Socorro Alencar Nunes Macedo Universidade Federal de São João Del-Rei
Palavras-chave: Avaliação oficial, Discurso, Prática docente, Impacto

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir, a partir de indícios observados no discurso de professores alfabetizadores, o impacto que o Proalfa (Programa de Avaliação da Alfabetização do Estado de Minas Gerais) pode causar na prática docente. Foram utilizados como instrumentos de investigação a pesquisa documental, e, como instrumento central, realizamos dois encontros com um grupo focal formado por sete professoras alfabetizadoras. Como aporte teórico-metodológico, utilizaram-se conceitos como os de reforma e mudança, propostos por Popkewitz, táticas e estratégias, postulado por Certeau, além dos conceitos de polifonia e vozes, discurso de autoridade e internamente persuasivos, da teoria da enunciação de Bakhtin. Os resultados indicam que, diante das estratégias de governo, os professores lançam mão de táticas de consumo daquilo que é imposto às escolas como algo a ser seguido. As táticas variam de acordo com a legitimação conferida aos objetivos dessa política, ou seja, para que as professoras ajam de forma a corroborar o Proalfa, primeiro, elas têm que estar convencidas de que dará certo. Nos aspectos em que esse convencimento não se concretiza, elas colocam em prática as táticas de resistência, principalmente através de discursos marcados por elementos explicativos daquilo que não está sendo alcançado, bem como de suas possíveis causas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2011-12-01
Como Citar
Carvalho, G., & Macedo, M. (2011). Avaliação oficial: o que dizem os professores sobre o impacto na prática docente . Educação E Pesquisa, 37(3), 549-564. https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000300007
Seção
Artigos