O inavaliável em uma sociedade de desconfiança

  • Claudine Haroche
Palavras-chave: Inavaliável, Processo de pensamento, Controle contínuo, Sociedade de desconfiança, Avaliação

Resumo

Vivemos presentemente em sociedades de controle contínuo que induzem e reforçam a falta de confiança e, além disso, uma desconfiança difusa e crescente que nos leva a falar de sociedade de desconfiança. Nestas sociedades exige-se tanto dos organismos como dos indivíduos que prestem conta, com precisão, não tanto daquilo que fizeram, mas do que fazem no momento presente, assim como o que pretendem fazer: procura-se assim suprimir a perda de tempo, a falta de rentabilidade e, mais ainda, o imprevisível, inavaliável por definição. Em face do ininteligível provocado e intensificado pela mudança permanente, ligada entre outras coisas à aceleração das tecnologias, a sociedade foi levada a desenvolver ferramentas de avaliação; indiferente ao indivíduo em sua singularidade, a avaliação tende a individualizá-lo e controlá-lo incessantemente e, ao mesmo tempo, a diferenciá-lo e homogeneizá-lo cada vez mais. Atualmente, os bens e as pessoas são cada vez mais avaliados e, portanto, inevitavelmente comparados, engendrando e reforçando formas de concorrência e rivalidade permanentes e exacerbadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2011-12-01
Como Citar
Haroche, C. (2011). O inavaliável em uma sociedade de desconfiança . Educação E Pesquisa, 37(3), 657-676. https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000300014
Seção
Tradução