Breve história do ensino superior brasileiro e da formação de professores para a escola secundária

Autores

  • Núria Hanglei Cacete Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1517-97022014005000011

Resumo

O artigo trata da evolução do ensino superior brasileiro e sua relação com os modelos de formação de professores para escola secundária, ou seja, as séries finais do ensino fundamental e ensino médio. As análises concentram-se nos textos e documentos que abordam a genealogia da regulamentação do ensino superior, e, de modo particular, os cursos de formação de professores, tomando como base territorial de análise o Estado de São Paulo. Na medida em que se considera a educação como um fenômeno histórico, destacou-se o contexto político econômico a contar de 1930, quando a formação de professores foi elevada a nível superior e o ensino expandiu-se fortemente em função do aumento sensível da demanda social por educação. A faculdade de filosofia, inspirada na investigação científica e, inicialmente, concebida como núcleo integrador da nascente universidade, transmutou-se, constituindo--se em primeiro lócus institucional de ensino superior responsável pela formação de professores. Demonstraram-se a desarticulação da faculdade de filosofia no âmbito da universidade, que foi sendo substituída por outras formas de organização, e sua expansão como instituições isoladas de caráter privado, aqui denominada de novas faculdades de filosofia. Com o advento das licenciaturas curtas, essas instituições apresentaram um crescimento significativo, contribuindo com o processo de evolução do ensino superior para a consecução do binômio expansão/privatização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-12-01

Como Citar

Cacete, N. H. (2014). Breve história do ensino superior brasileiro e da formação de professores para a escola secundária. Educação E Pesquisa, 40(4), 1061-1076. https://doi.org/10.1590/S1517-97022014005000011

Edição

Seção

Artigos