O paradoxo protestante e o condicionamento do ‘espírito’ capitalista ocidental de tipo moderno: algumas observações sobre o pensamento weberiano

Autores

  • Lucas dos Santos Andrade Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de História

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v10i2p121-147

Palavras-chave:

História intelectual, História moderna, Max Weber

Resumo

‘A ética protestante e o “espírito” do capitalismo’ pode ser considerada a obra mais lida deixada pelo intelectual alemão Max Weber. Por muitos anos – praticamente todo o século XX – as interpretações feitas a respeito da obra tomaram por base a segunda versão da obra, de 1920, deixando de lado pontos levantados inicialmente em sua primeira versão, publicada inicialmente entre os anos de 1904 – 1905. Tal escolha gerou certos anacronismo e leituras errôneas em alguns detalhes, mas, cada qual, foram importantes para a sobrevida e a divulgação das ideias do autor. O objetivo deste artigo será explorar de perto as palavras deixadas pelo intelectual alemão nas duas versões da obra, assim como atentar para outras deixadas em outros trabalhos planejados inicialmente para compor um grande compendio de sociologia compreensiva religiosa. Para tanto o artigo apresentado encontra-se dividido em três movimentos que – cada qual – funcionará como complemento para todo o movimento proposto.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOURDIEU, Pierre. Apêndice I: Uma Interpretação da Teoria da Religião de Max Weber. In: _________. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2007, p 79 – 98.

KALINOWSKI, Isabelle. Introduction. In: WEBER, Max. Sociologie de la religion. Paris : Flammarion, 2013, p. 7 – 69.

PARSONS, Talcott. Estrutura da ação social, vol. 2 – Weber. Petrópolis: Ed. Vozes, 2010.

PIERUCCI, Antônio Flávio. O desencantamento do mundo: todos os passos do conceito em Max Weber. São Paulo: Editora 34, 2013.

RINGER, Fritz. A Metodologia de Max Weber – unificação das ciências culturais e sociais. São Paulo: Edusp, 2004.

SELL, Carlos Eduardo. Max Weber e a racionalidade da vida. Petrópolis: Ed. Vozes, 2013.

SENEDA, Marcos César. Max Weber e o problema da evidência e da validade nas ciências empíricas da ação. Campinas: Ed. Unicamp, 2008.

SCHLUCHTER, Wolfgang. Paradoxos da modernidade – cultura e conduta na teoria de Max Weber. São Paulo: Ed. Unesp, 2011.

WEBER, Max. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2005 [1904 – 1905; 1920]

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. Petrópolis: Ed. Vozes, 2020.

WEBER, Max. Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 2018.

WEBER, Max. Escritos políticos. São Paulo: WMF, 2014.

WEBER, Max. Economia e sociedade, volume 1. Brasília: UnB, 2012.

WEBER, Max. Economia e sociedade, volume 2. Brasília: UnB, 2015.

WEBER, Max. Ética econômica das religiões mundiais – ensaios comparados de sociologia da religião, volume 1: Confucionismo e Taoísmo. Petrópolis: Vozes, 2016.

WEBER, Max. Ética econômica das religiões mundiais – ensaios comparados de sociologia da religião, volume 3: O Judaísmo Antigo. Petrópolis: Vozes, 2019.

WEBER, Max. Metodologia das ciências Sociais. Campinas; São Paulo: Ed. Unicamp; Cortez Editora, 2016.

WEBER, Max. Max Weber: ensaios de sociologia, organizado por: H.H. Gerth e C. Wright Mills. Rio de Janeiro: Ed. LTC, 1982.

WEBER, Max. Max Weber: sociologia, organizado por: Gabriel Cohn. São Paulo: Ática, 2003.

Downloads

Publicado

2021-07-13

Como Citar

Andrade, L. dos S. (2021). O paradoxo protestante e o condicionamento do ‘espírito’ capitalista ocidental de tipo moderno: algumas observações sobre o pensamento weberiano. Epígrafe, 10(2), 121-147. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v10i2p121-147

Edição

Seção

Artigos