A guerra como estrutura: sua influência nas relações de poder no Final da Idade Média e na Idade Média Tardia.

Autores

  • Andréa Grion Hungaro Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v10i2p721-750

Palavras-chave:

Idade média tardia, Guerra, Relações de poder, Estrutura, Sistema Internacional, Vestfália

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar o papel da guerra, assim como sua influência nas relações de poder existentes durante o final da Idade Média e na Idade Média Tardia (séculos XII ao XVIII), por uma perspectiva combinada entre análise historiográfica e estudos de Relações Internacionais (RI). O presente artigo procura compreender as repercussões que a guerra tem tanto na esfera doméstica quanto internacional, ou seja, de maneira sistêmica; junto a isso, demonstra a ineficácia da utilização de conceitos e definições em sua forma pura e isolada. Para que se possa compreender os impactos da guerra, é necessário pensar a história através da ideia de longa duração, ou seja, é fundamental levar em conta o predomínio dos costumes, das divisões sociais e de poder, e das estruturas (ainda que com algumas transformações) que caracterizam a Idade Média. Por fim, constata-se uma crítica ao consenso sobre os Tratados de Vestfália como marco que daria início ao Sistema Internacional Moderno.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Neri de Barros. A Idade Média entre o “poder público” e a “centralização política”, itinerários de uma construção historiográfica. Belo Horizonte: Varia Historia, 2010, vol.26, nº43.

ARAUJO, Luciana Souza. Entre o medieval e o moderno: rupturas e continuidades. O nominalismo medieval e o jusnaturalismo contratualista. Uberlândia: XXI Encontro Nacional do CONPEDI. 2012.

BALANDIER, Georges. O poder em cena. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1982.

BLACK, Jeremy. European warfare in a global contexto, 1660-1815. Canada: Routledge, 2007.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1989.

BRAUDEL, Fernand. Escritos sobre a história. São Paulo: Perspectiva, 2007.

CONTAMINE, Philippe. La guerra en la edad media. Barcelona: Editorial Labor S.A, 1984.

CORTÁZAR, José Ángel Garcia de. Elementos de definición de los espacios de poder em la edad media. Universidad de Cantabria. 2002.

DEKKER, Ige; WENER, Wouter. Governance and international legal theory. Leiden: Springer Science + Business Media Dordrecht, 2004.

DEMURGER, Alain. Os templários: uma cavalaria cristã na idade média. Rio de Janeiro: DIFEL, 2007.

FITZ, Francisco. La edad media guerra e ideología – justificaciones religiosas y jurídicas. Madrid: Sílex, 2003.

FOSSIER, Robert. Fidélité. In: GAUVARD, C.; DE LIBERA, A.; ZINK, M.. Dictionnaire du Moyen Âge. Paris: PUF, 2002.

GOFF, Jacques Le. Para uma outra idade média. Petrópolis: Vozes, 2014.

GÓMEZ, Mario Lafuente. Amistad y poder entre la baja nobleza aragonesa del trescientos. Santander: PUbliCan, Ediciones de la Universidad de Cantabria, D.L. 2012.

HOBSBAWN, Eric. A era das revoluções. São Paulo: Paz e Terra Ltda, 2010.

HUIZINGA, Johan. O outono da idade média. São Paulo: Cosacnaify, 2016.

KEEGAN, John. Uma história da guerra. São Paulo: Editora Schwarcz Ltda. Companhia de Bolso, 1993.

LATHAM, Andrew. Medieval geopolitics: the two types of warfare in medieval Europe. 2018. Disponível em: < https://www.medievalists.net/2018/03/medieval-geopolitics-two-types-warfare-medieval-europe/ >. Acesso em: 26 de Julho de 2020.

LATHAM, Andrew. Questions of power and authority between Church and State. 2019. Disponível em: < https://www.medievalists.net/2019/04/power-authority-church-state/>. Acesso em: 26 de Julho de 2020.

MOITA, Luís. Uma releitura crítica do consenso em torno do “sistema vestefaliano”. E- Journal of International Relations, vol. 3, nº 2. 2012.

MORILLO, Stephen; BLACK, Jeremy; LOCOCO, Paul. War in the world history – society, technology, and war from ancient times to the present. Vol. 1. To 1500. New York: Mc Graw Hill, 2009.

ROSHCHIN, Evgeny. The concept of friendship: from princes to States. European University at St. Petersburg. European Journal of International Relations. SAGE Publications and ECPR- European Consortium for Political Research, vol. 12(4). 2006.

TESCHKE, Benno. Debating ‘the myth of 1648’: State formation, the Interstate System and the emergence of capitalism in Europe – a Rejoinder. Sussex. University of Sussex. 2006.

ZIELONKA, Jan. The international system in Europe: westphalian anarchy or medieval chãos?. Oxford: Journal of European Integration, vol.35, n.1, p.1-18, 2013

Downloads

Publicado

2021-07-13

Como Citar

Hungaro, A. G. (2021). A guerra como estrutura: sua influência nas relações de poder no Final da Idade Média e na Idade Média Tardia. Epígrafe, 10(2), 721-750. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v10i2p721-750

Edição

Seção

Dossiê