Entre concessões e alianças: a articulação entre o bispo de Toulouse e Domingos de Gusmão no combate contra os cátaros no Languedoc (século XIII)

Autores

  • Silvio Augusto da Silva Ramos Junior Universidade Federal do Pará - Campus Bragança

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v10i2p576-602

Palavras-chave:

Catarismo, Combate, Episcopado, Poder, Relações

Resumo

Este artigo se propõe analisar os mecanismos que constituíram a parceria entre o bispo de Toulouse e Domingos de Gusmão no combate aos cátaros no Languedoc, durante os anos que marcaram a Cruzada Albigense (1209-1229). Tendo em vista que a repressão às heresias constitui um considerável momento dos séculos XII e XIII, o texto se objetiva debater e contribuir aos demais estudos sobre o combate ao Catarismo, partindo da lógica de criação de verdade do filósofo e historiador Michel Foucault na análise das fontes que constituem o corpus documental base para o trabalho. Partimos da assertiva de que a Cruzada Albigense não somente é fruto, como também possui continuidade possibilitada por variadas relações de poder entre os agentes envolvidos no combate, o que a nível local do Languedoc se destacam os bispos fiéis aos preceitos católicos e ao que ela iniciou naquela região. Fulco, o bispo de Toulouse, adotou em diferentes momentos uma política, que sob ótica da nossa interpretação, foi muito pautada em intermediações objetivadas a dar bases aos agentes inseridos naquela região para combater os cátaros, cujo um dos exemplos se encontra em Domingos de Gusmão, importante clérigo envolvido nas pregações e trabalhos de conversão direcionadas a estes hereges. Concluímos alegando que o bispo Fulco se interessou em dar continuidade ao combate, utilizando de sua importante posição eclesiástica para conseguir subsídios para a permanência de Gusmão na região, bem como destacamos o referido bispo como um ferrenho defensor dos discursos direcionadas pela Igreja Católica àqueles hereges.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBER, Malcolm. The Cathars: dualist heretics in Languedoc in the High Middle Ages. Harlow: Longman, 2000.

BASCHET, Jérôme. A civilização feudal: do ano 1000 à colonização da América. São Paulo: Globo, 2006.

BIGET. Jean-Louis. “Albigenses”: observações sobre uma denominação. In: ZERNER, Monique (Org.). Inventar a Heresia? Discursos polêmicos e poderes antes da Inquisição. Tradução: Néri de Barros Almeida et al. Campinas: Editora da UNICAMP, 2009. p. 229-267.

FALBEL, Nachman. As heresias dos séculos XII e XIII. Revista de História, USP, v. 38, n. 78, p. 325-352, junho de 1969.

FAURIEL, M. C. Histoire de la croisade contre les hérétiques albigeois. In: Collection de documents inédits sur l’histoire de France. Paris: Premiere Royale, 1837.

FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos Vol. IV: Estratégia, saber e poder. 2 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitário, 2006.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2008.

FRANCO JUNIOR, Hilário. Catarismo, uma manifestação utópica medieval. Topoi, Rio de Janeiro, v. 19, n. 38, p. 6-34, mai./ago. 2018.

JORDÃO DA SAXÔNIA. Orígenes de la orden de predicadores. In: GELABERT, Miguel; MARÍA MILAGRO, José; MARÍA DE GARGANTA, José. Santo Domingo de Guzmán visto por sus contemporáneos. Madrid: BAC, 1947. p. 163-213.

LAUWERS, Michel. Expérience béguinale et récit hagiographique. Journal des savants, n. 1-2, p. 61-103, 1989.

LE GOFF, Jacques. O apogeu da cidade medieval. Tradução: Antônio de Padua Danesi. São Paulo: Martins Fontes. 1992.

LIMA, Philipe Rosa de. Negotium Fidei et pacis no Languedoc: A Igreja e as relações de poder a Cruzada Albigense (1209-1229). 2015. 144f. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2015.

Lima, Philipe Rosa de. Poderes eclesiásticos e seculares na repressão ao Catarismo no Languedoc (1145-1229). 2019. 322f. Tese de Doutorado – Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, 2019.

MACEDO, José Rivair. Nobreza, heresia e banditismo social no século XIII: O caso dos faidits. Textos de História, Revista da Pós-Graduação em História da UNB, v. 4, n. 1, p. 7-38, 1996.

MAGALHÃES, Ana Paula Tavares. Heresia, Marginalidade e Alteridade: apontamentos sobre o exercício da espiritualidade na Baixa Idade Média (séculos XII a XIV). Dimensões, vol. 33, 2014, p. 61-88.

PORTO, Thiago de Azevedo. O papado e os dominicanos em Toulouse (século XIII): o combate aos cátaros e as resistências locais. In: Encontro de História Antiga e Medieval do Pará: historiografia e ensino de História, 2, 2019. Anais... Cametá, PA: Editora Abaeté, 2019. p. 60-77.

PORTO, Thiago de Azevedo. O Mosteiro de Santa Maria de Prouille em meio a divergências documentais: os dominicanos, o papado e a cura monialum no século XIII. In: Diálogos entre História Antiga e Medieval na Amazônia. Org.: Douglas Mota Xavier de Lima. 2020, p. 13-45.

RIBEIRO JÚNIOR, João. Pequena História das Heresias. Campinas, SP: Papirus, 1989.

SILVA, Andréia Cristina Lopes Frazão da. Uma proposta de leitura histórica de fontes textuais em pesquisas qualitativas. Revista Signum, v. 16, n. 1, p. 131-153, julho de 2015.

SCHULMAN, N. M. From Lover to Villain, From Sinner to Saint: The Varied Career of Folco, Troubadour, Monk and Bishop of Toulouse (c. 1150-1231). 1998. 313f. Tese de Doutorado – Universidade de Toronto. Toronto, 1998.

Downloads

Publicado

2021-07-13

Como Citar

Ramos Junior, S. A. da S. . (2021). Entre concessões e alianças: a articulação entre o bispo de Toulouse e Domingos de Gusmão no combate contra os cátaros no Languedoc (século XIII). Epígrafe, 10(2), 576-602. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v10i2p576-602

Edição

Seção

Dossiê