O ensino de História no Liceu Provincial da Bahia: 1836-1890

Autores

  • Ícaro Batista Silva Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v11i1p389-426

Palavras-chave:

Ensino de História, Liceu Provincial, História da Bahia

Resumo

O Presente estudo tem como objeto a História do Ensino de História na Bahia, tendo como campo empírico o Liceu Provincial, desde sua fundação em 1836 até 1890 quando é criado o Instituto Oficial de Ensino Secundário, no início da República, visando a substituição do Liceu. A razão para escrever este artigo reside na ausência de estudos sistematizados sobre a trajetória da disciplina história em território baiano, no ensino secundário, no século XIX. Assim, este trabalho está estruturado em três momentos: 1) discussão sobre o conceito de disciplina escolar; 2) como se deu a disciplinarização da história, no Brasil; 3) como protagonizou a disciplina história no Liceu Baiano. Assim, para realizar essa investigação foi necessário buscar fontes diversas para responder alguns questionamentos, recorro a documentos como relatórios presidenciais e de instrução pública da Província da Bahia, discursos políticos, revista de instrução pública do Estado e matéria jornalística. Portanto, a metodologia empregada para análise das fontes parte da proposta indiciário-dialógica, com base em Pinheiro (2015).

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

FONTES:

BRASIL. ATO ADICIONAL n°16 de agosto de 1834. In. Coleção de Leis do Império, disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/colecao-anual-de-leis/copy_of_colecao3.html Acesso em: 20 de outubro de 2020.

ABBADE FLEURY. [1846]. Pequeno Cathecismo historico, contendo em compendio a Historia Sagrada, e Doutrina Christã composto em francez. Traduzido em português de ordem do governo imperial por Joaquim José da Silveira. 2° edição. Rio de Janeiro: Typographia de Bintot, 1846. Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados. Disponível em: . Acesso em: 03/04/2021.

BRASIL, Constituição Política do Império do Brazil, de 25 de março de 1824. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao24.htm Acesso em 20 de outubro de 2020.

BAHIA. Falla que o Exm.o snr. Thomas Xavier Garcia de Almeida; presidente desta província, dirigio a Assembléa Legislativa Provincial na abertura da mesma Assembléa no dia 2 de fevereiro de 1840. Bahia, typ. Manoel Antonio da Silva Serva. 1839.

BAHIA. Falla que o Exm.o snr. Paulo José de Mello Azevedo e Brito; presidente desta província, dirigio a Assembléa Legislativa Provincial na abertura da mesma Assembleá no dia 2 de fevereiro de 1841. Bahia, typ. Epifanio J. Pedroza, 1841.

BAHIA. Falla que o Exm.o snr. DR. Alvaro Tiberio de Moncorvo e Lima; presidente desta província, dirigio a Assembléa Legislativa Provincial na abertura da mesma Assembleá no dia 14 de maio de 1856. Bahia, typ. Antonio de Olavo França Guerra e Comp, 1856.

BAHIA. Falla que o Exm.o. snr. Conselheiro Antonio Coelho de Sá e Albuquerque; presidente desta província, dirigio a Assembléa Legislativa Provincial na abertura da mesma Assembléa no dia 1 de março de 1863. Bahia, typ. Poggeti-De Tourinho, dias & c. 1863

BAHIA. Relatorio apresentado ao ILLM. Exm. Sr. DEZ. João José d’Almeida Couto; 1° Vice- Presidente da Província pelo 4° Vice-Presidente da Província Dr. Francisco José da Rocha ao passar-lhe a Administração da Província em 17 de Outubro de 1871. Bahia, typ. Correio da Bahia. 1871. Disponível em: < http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=130605&Pesq=%22methodo%20zaba%22&pagfis=6638> acessado em: 02 de janeiro de 2021.

BAHIA. Mensagem e Relatorios apresentados pelo Dr. Joaquim Manuel Rodrigues Lima; Governador da Bahia, apresentou a Assembléa Geral Legislativa no dia 07 de abril de 1893. Bahia, typ. Encadernação do “Diário da Bahia”, 1893.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia) para o Anno de 1855, organizado por Camillo de Lellis Masson. Primeiro anno. Bahia. Typ. De Camillo de Lellis Masson & C. 1854.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia) para o Anno de 1856, organizado por Camillo de Lellis Masson. Segundo anno. Bahia. Typ. De Camillo de Lellis Masson & C. 1855.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia) para o Anno de 1857, organizado por Camillo de Lellis Masson. Terceiro anno. Bahia. Typ. De Camillo de Lellis Masson & C. 1856.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia) para o Anno de 1858, organizado por Camillo de Lellis Masson. Quarto anno. Bahia. Typ. De Camillo de Lellis Masson & C. 1857.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia) para o Anno de 1860, organizado por Camillo de Lellis Masson. Sexto anno. Bahia. Typ. De Camillo de Lellis Masson & C. 1859.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia) para o Anno de 1862, organizado por Camillo de Lellis Abajson. Oitavo anno. Bahia. Typ. De Camillo de Lellis Masson & C. 1861.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia) para o Anno de 1863, organizado por Camillo de Lellis Abajson. Nono anno. Bahia. Typ. De Camillo de Lellis Masson & C. 1862.

ALMANAK (Almanak Administrativo, Commercial e Industrial da Província da Bahia) para o anno de 1873, compilado por Avino Rodrigues Pimenta. Anno I. Bahia. Typ. De Oliveira Mendes & C. 1872.

GARCIA, Manoel Correia. Periódico do Instituto Histórico Baiano: Introdução. n. 1 out. p. 3-8, 1863. Disponível em: http://bndigital.bn.br/acervo-digital/instituto-historico-da-bahia/818933. Acessado em: 02 de janeiro de 2021.

ROMUALDO, Arcebispo da Bahia. Periódico do Instituto Histórico Baiano: Discurso que abrio a primeira sessão inaugural do Instituto Historico da Bahia em 3 de Maio de 1856. n. 1 out. p. 9-16. Disponível em: http://bndigital.bn.br/acervo-digital/instituto-historico-da-bahia/818933. Acessado em: 02 de janeiro de 2021.

Revista da Instrucção Publica, n. 55 de 15 de dezembro de 1872. Disponível em: < http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=826189&pasta=ano%20187&pesq=%22methodo%20zaba%22&pagfis=101> Acessado em: 02 de janeiro de 2021.

BIBLIOGRÁFICAS:

DICK, Sara Martha. A origem das políticas públicas para o ensino secundário na Bahia: o Liceu Provincial 1836 a 1862. 1992. Dissertação (Mestrado em História) – UFBA, Salvador, 1992.

DICK, Sara Martha. Políticas públicas para o ensino secundário – Liceu Provincial 1860 a 1890. 2001. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador,

DICK, Sara Martha. Origem das políticas públicas para o ensino secundário – O Liceu Provincial Baiano – 1836 a 1890. Gestão em Ação, Salvador, V.5, n.2, p. 91-109. 2002.

SANTOS, Alex Sandro Salvador dos. Educação, Política e Sociedade na Bahia do Séc. XIX. O Liceu Provincial da Bahia entre 1836 E 1870. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia, 2017

NUNES, Antonieta de Aguiar. A formação oficial de professores na Bahia Imperial. Revista da Faced, n.2, Salvador: EDUFBA.

NUNES, Antonieta de Aguiar. A formação dos sistemas públicos de educação no sec. XIX e sua efetivação na província da Bahia. Revista do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia n.99, p.75-113, 2004.

NUNES, Antonieta de Aguiar. Uma avançada proposta de reforma educacional no último quartel do século XIX brasileiro: Leôncio de Carvalho e os Pareceres de Rui Barbosa. Revista da FACED, n.4, Salvador, 2000, p. 11-25.

NUNES, Antonieta de Aguiar. A trajetória de um político dedicado à educação: Sátiro de Oliveira Dias. Gestão em Ação, Salvador, V.4, n.2, p. 33-47. 2001.

NUNES, Antonieta de Aguiar. Política educacional do Segundo Governo Republicano na Bahia (1890). Gestão em Ação, Salvador, v.5, n.2, p. 111-126. 2002a.

NUNES, Antonieta de Aguiar. A Instrução pública nas leis orçamentárias provinciais baianas: 1835-1889. In: Anais... II Congresso Brasileiro de História da Educação em Natal, RGN, novembro de 2002b.

ROCHA, Lúcia Maria da Franca. A Escola Normal na Província da Bahia. In: ARAÚJO, José Carlos (Org.). As escolas normais no Brasil: do império à república. Campinas, SP. Editora Alínea, 2008. p. 47-60.

MATTOS, Ilmar Rohloff (org.) Histórias do Ensino de História no Brasil – Rio de Janeiro: Access. 1998. 136p.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Os Confrontos de uma disciplina escolar: da história sagrada à história profana. Rev. Bras. De Hist/S. Paulo/ v.13. n°25/26/ pp. 193-221/ set. 92/ago 93.

GUIMARÃES, Manoel Luis Salgado. Nação e civilização nos trópicos: O Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o projeto de uma História Nacional. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n.1. 1988. p.5-27.

SAVIANI, Demerval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 5.ed. Campinas, Sp: Autores Associados, 2019. p. 1-187.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação,2, p. 177-229.

CHERVEL, André. Quando surgiu o ensino “Secundário”? R. Fac. Educ, São Paulo. v.18, n.1, 9. Jan/jun. 1992, p. 99-112.

GOODSON, Ivor F. A Construção social do Currículo. Educa, Lisboa. 1997, p. 1- 27.

JULIA, D. Disciplinas escolares: objetivo, ensino e apropriação. In: Lopes, A.C; MACEDO, E. Disciplinas e integração curricular. História e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 37-71.

VIÑAO, Antonio. A história das disciplinas escolares. Revista brasileira de história da educação. N°18 set./dez. 2008. p. 173-215.

Downloads

Publicado

2022-10-09

Como Citar

Silva, Ícaro B. (2022). O ensino de História no Liceu Provincial da Bahia: 1836-1890. Epígrafe, 11(1), 389-426. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v11i1p389-426

Edição

Seção

Artigos