O CARÁTER IMAGINATIVO DA MEMÓRIA NO LIVRO II DA ÉTICA DE ESPINOSA

Autores

  • Eliakim Ferreira Oliveira Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2017.118513

Palavras-chave:

Espinosa, Descartes, Santo Agostinho, pequena física, memória, imaginação

Resumo

O presente artigo busca, a partir da leitura das proposições 17 e 18 do livro II da Ética, inserir Espinosa na tradição filosófica que trata a memória como uma faculdade de caráter fundamentalmente imaginativo. Essa tradição tem destaque na modernidade com Descartes, cujo modelo físico de explicação dos mecanismos da memória é, segundo nossa leitura, aquele em voga no século XVII e o mesmo que serviu de base para a chamada pequena física da Ética, da qual depende a demonstração das proposições 17 e 18 do livro II.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliakim Ferreira Oliveira, Universidade de São Paulo

FFLCH, Departamento de Filosofia, graduando

Referências

AGOSTINHO, S. (1996) Confissões. Tradução J. Oliveira Santos e A. Ambrósio de Pina. São Paulo: Nova Cultural (Coleção Os Pensadores).

____________________ (2008) A grandeza da alma. Tradução Agustinho Belmonte. São Paulo: Paulus (Coleção Patrística; 24).

___________________ Confissões. Tradução em andamento realizada por Lorenzo Mammì.

BOVE, L. (1996) La stratégie du conatus. Affirmation et résistance chez Spinoza. Paris: Vrin.

BROWN, P. (2006) Santo Agostinho: uma biografia. 4. ed. Tradução Vera Ribeiro. São Paulo, Rio de Janeiro: Editora Record.

CHAUÍ, M. (1995) Espinosa: uma filosofia da liberdade. São Paulo: Editora Moderna (Coleção Logos).

_____________ (1999) A nervura do real: imanência e liberdade em Espinosa. São Paulo: Companhia das Letras.

DELEUZE, G. (1997) "Spinoza e as três Éticas": In: DELEUZE, G. Crítica e Clínica. São Paulo: Editora 34.

DESCARTES, R. (1996) As paixões da alma. Tradução J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. São Paulo: Nova Cultural (Coleção Os Pensadores).

______________ (1996) Objeções e respostas. Tradução J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. São Paulo: Nova Cultural (Coleção Os Pensadores)

ESPINOSA, B. (2007) "Prefácio dos Princípios da filosofia cartesiana". Tradução Homero Santiago. In: Revista Conatus, Filosofia de Spinoza, vol. 1, n. 1, pp. 105-110, jul.-dez.

_____________ (2015) Tratado da emenda do intelecto. Tradução Cristiano Novaes de Rezende. Campinas, SP: Editora da Unicamp (Coleção Fausto Castilho Multilíngues da Filosofia Unicamp).

______________ (2015) Princípios da filosofia cartesiana e pensamentos metafísicos. Tradução Homero Santiago e Luís César Guimarães Oliva. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

______________ (2015) Ética. Tradução Grupo de Estudos Espinosanos; coordenação Marilena Chaui. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

GUÉROULT, M (1974). Spinoza. II-L'âme. Paris: Aubier.

GILSON, É. (2010) Introdução ao estudo de Santo Agostinho. 2. ed. Tradução Cristiane Negreiros Abbud Ayoub. São Paulo: Discurso Editorial; Paulus.

ITOKAZU, E. M. (2006) "A filosofia espinosana para além do corpo-máquina: o paralelismo em questão". In: Cadernos espinosanos, n. XV, . pp. 111-137, jul.-dez.

MACHEREY, P. (1997) Introduction à l'Ethique de Spinoza. La deuxième partie: La réalité mentale. Paris: Presses Universitaires de France (Collection Les Grands Livres de La Philosophie).

MEIRELES, C. (2013) Cecília de bolso. Organizador Fabrício Carpinejar. Porto Alegre, RS: L&PM (Coleção L&PM POCKET, v. 700).

OLIVA, L. C. G. (2008) "A noção de contemplação no livro II da Ética de Espinosa". In: Cadernos espinosanos, n. XIX, pp. 47-64, jul.-dez.

TESKE, R. (2001) "Augustine's philosophy of memory". In: STUMP, E., KRETZMANN, N. (orgs.) The Cambridge Companion to Augustine. Cambridge, New York: Cambridge University Press.

Downloads

Publicado

2017-12-28

Como Citar

Oliveira, E. F. (2017). O CARÁTER IMAGINATIVO DA MEMÓRIA NO LIVRO II DA ÉTICA DE ESPINOSA. Cadernos Espinosanos, (37), 337-353. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2017.118513

Edição

Seção

Artigos