A INSTITUIÇÃO DO ESTADO OU AS DUAS FACES DA MULTIDÃO A PARTIR DE HOBBES E ESPINOSA

  • Paula Bettani Mendes Jesus Universidade de São Paulo, São Paulo
Palavras-chave: Estado, multidão, política, instituição, Hobbes, Espinosa.

Resumo

O presente artigo, tem como objetivo apresentar a maneira pela qual Hobbes e Espinosa entendem a multidão, elucidando, a partir disso o papel que conferem a ela na instituição do Estado. Parte-se do pressuposto de que tanto num pensador quanto no outro, a multidão tem um papel central no que diz respeito à instituição do estado civil, de maneira que, por vias distintas, tal instituição somente pode ser pensada a partir dela. Como se observa, os dois pensadores têm maneiras totalmente díspares de conceber a multidão – enquanto em um ela necessariamente precisa ser unificada por meio da representação, no outro o sujeito político instituinte é justamente a multidão tomada em sua pluralidade –, do que se segue que somos colocados diante de duas concepções distintas de Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Bettani Mendes Jesus, Universidade de São Paulo, São Paulo
Doutoranda, Universidade de São Paulo
Publicado
2016-12-24
Como Citar
Jesus, P. B. (2016). A INSTITUIÇÃO DO ESTADO OU AS DUAS FACES DA MULTIDÃO A PARTIR DE HOBBES E ESPINOSA. Cadernos Espinosanos, (35), 349-371. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2016.120291
Seção
Artigos