RESISTÊNCIA, POTÊNCIA, SOCIALIZAÇÃO DOS AFETOS E A FORMAÇÃO DO MELHOR ESTADO

  • Francisco de Guimaraens Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
  • Mauricio Rocha Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Palavras-chave: Spinoza, resistência, afetos, democracia, Estado

Resumo

Este artigo busca demonstrar a relação entre a noção spinozana de resistência, o papel da socialização dos afetos na formação do Estado e o projeto spinozano de defesa do fundamento democrático do poder do Estado. O artigo também expõe os elementos filosofia política de Spinoza que permitem combater a transcendência do poder político, a difusão generalizada do ódio, o voluntarismo e o moralismo político.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco de Guimaraens, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Professor, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Mauricio Rocha, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Professor, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Publicado
2016-12-24
Como Citar
Guimaraens, F., & Rocha, M. (2016). RESISTÊNCIA, POTÊNCIA, SOCIALIZAÇÃO DOS AFETOS E A FORMAÇÃO DO MELHOR ESTADO. Cadernos Espinosanos, (35), 167-207. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2016.121114
Seção
Artigos