MÚLTIPLOS QUE CONSTITUEM A UNIDADE: OS CONCEITOS LEIBNIZIANOS DE SUBSTÂNCIA - DA NOÇÃO COMPLETA À MÔNADA EXPRESSIVA

Autores

  • André Gomes Quirino Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2018.137820

Palavras-chave:

Corpo e Alma, Fichant, Leibniz, Monadologia, Pós-Cartesianismo, Substância

Resumo

Leibniz propôs mais de um conceito para descrever filosoficamente a substância. Ironia instrutiva, esta pluralidade que tem por fim uma explicação unificada da realidade culminou em uma definição dos componentes fundamentais do mundo – as mônadas – como unidades que abrigam a multiplicidade. Estas substâncias, bem como a sua função essencial de se exprimirem mutuamente, apenas se tornam plenamente inteligíveis quando observamos os conceitos anteriores, de que a filosofia madura de Leibniz herdou algumas intuições. (As quais, por sua vez, têm consequências sobre outras questões em voga no período pós-cartesiano, notadamente a do estatuto ontológico do corpo.) Guiando-nos pelas obras-chave do filósofo e físico alemão, procuraremos retraçar esse percurso intelectual, a fim não de esboçar um hipotético sistema seu, mas de unificar o tratamento que ele dispensou à unidade. Tal hipótese de leitura concorda fundamentalmente com aquela sustentada por Michel Fichant, mas traz pontuais acréscimos ou desacordos, que serão indicados neste artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Gomes Quirino, Universidade de São Paulo

Graduando em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP).

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

Quirino, A. G. (2018). MÚLTIPLOS QUE CONSTITUEM A UNIDADE: OS CONCEITOS LEIBNIZIANOS DE SUBSTÂNCIA - DA NOÇÃO COMPLETA À MÔNADA EXPRESSIVA. Cadernos Espinosanos, (39), 339-372. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2018.137820

Edição

Seção

Artigos