AS NATUREZAS SIMPLES E A METAFÍSICA CARTESIANA: UMA CRÍTICA A JEAN-LUC MARION

  • William de Jesus Teixeira Universidade de Brasília
Palavras-chave: Descartes, J. L. Marion, Estruturalismo, Naturezas simples, Metafísica, Cogito

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar e refutar a opinião de Jean-Luc Marion acerca da relação entre a doutrina das naturezas simples e a metafísica cartesiana. Em primeiro lugar, apontaremos alguns problemas com o método estruturalista empregado por Marion. A seguir, mostraremos a impossiblidade de se converter noções epistemológicas (naturezas simples) em noções ontológicas (cogito). Por fim, sugerimos que o método empregado por Descartes na conversão das naturezas simples em sua metafísica das Meditações foi o introspectivismo ou disciplina da interioridade tomada emprestada de Agostinho. Esta constatação reforçara nossa convicção na recusa da interpretação estruturalista da obra de Descartes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

William de Jesus Teixeira, Universidade de Brasília

Bacharel em filosofia pela Universidade de Brasília.

Publicado
2019-12-19
Como Citar
Teixeira, W. (2019). AS NATUREZAS SIMPLES E A METAFÍSICA CARTESIANA: UMA CRÍTICA A JEAN-LUC MARION. Cadernos Espinosanos, (41), 321-338. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2019.160221
Seção
Artigos