O ESTATUTO DA ÁLGEBRA E DA GEOMETRIA NOS TEXTOS METODOLÓGICOS DE DESCARTES

Autores

  • Monique Vivian Guedes Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2020.163029

Palavras-chave:

Álgebra, Geometria, Imaginação, Intelecto, Dimensão

Resumo

O caráter protocolar desempenhado pelas matemáticas na formulação do conceito cartesiano de ciência é amplamente difundido e frequentemente reinvocado na literatura especializada quando se trata de abordar a exigência apodítica inerente a este conceito. No entanto, pouco se explora o que a diversidade das disciplinas matemáticas (álgebra, geometria e aritmética) bem como a relação entretida por elas permite trazer de elucidação à noção cartesiana de ciência. Nosso propósito consiste, aqui, em tomar posição quanto a um debate acerca do estatuto da álgebra e da geometria como disciplinas que fixam os lineamentos da teoria cartesiana do conhecimento ao exibirem o que Descartes reputaria como a aplicação ideal do intelecto. Trata-se de insistir, por vias que assinalam uma decisão teórica em favor de uma concepção mais intelectualista e menos imaginativa da ciência, que não há hesitação quanto ao papel primitivo e fundacional da álgebra se comparada à geometria.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-29

Como Citar

Guedes, M. V. (2020). O ESTATUTO DA ÁLGEBRA E DA GEOMETRIA NOS TEXTOS METODOLÓGICOS DE DESCARTES. Cadernos Espinosanos, (42), 273-295. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2020.163029

Edição

Seção

Artigos