FILOSOFIA E IMAGINAÇÃO NO SONHO, DE KEPLER, E NOS DIÁLOGOS SOBRE A PLURALIDADE DOS MUNDOS, DE FONTENELLE

Autores

  • Rodrigo Brandão Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2020.171649

Palavras-chave:

Astronomia, Ficção, Imaginação, Filosofia, Literatura, História da ciência

Resumo

O presente artigo pretende analisar os usos da imaginação em duas narrativas astronômicas do século xvii: o Sonho (1634), de Kepler, e os Diálogos sobre a pluralidade dos mundos (1686), de Fontenelle. Com isso, pretende-se mostrar, por um lado, como ambos concebem a imaginação positivamente e dentro de um quadro de crítica à superstição, guardadas as diferenças de cosmologia; de outro, procura-se apresentar o uso singular que cada um faz da imaginação: Kepler e sua exigência de uma nova concepção da observação científica, Fontenelle e a abordagem das ciências em perspectiva histórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-29

Como Citar

Brandão, R. (2020). FILOSOFIA E IMAGINAÇÃO NO SONHO, DE KEPLER, E NOS DIÁLOGOS SOBRE A PLURALIDADE DOS MUNDOS, DE FONTENELLE. Cadernos Espinosanos, (42), 99 -123. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2020.171649

Edição

Seção

Artigos