Descartes e a rejeição da loucura enquanto argumento na primeira Meditação

Autores

  • Jonathan Alvarenga Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2022.194585

Palavras-chave:

Descartes, Filosofia Moderna, Argumento da loucura, Cogito, Primeira Meditação, Ceticismo

Resumo

No presente artigo discutimos a inserção, a natureza e a problemática da rejeição à loucura enquanto argumento na primeira das Meditações de Descartes. Para isso, nos direcionaremos à análise do local, textualmente dito, em que tal rejeição está posta. Em um segundo momento, passaremos a dialogar com outros autores que já realizaram interpretações a respeito da loucura em Descartes. Com isso, poderemos ter um rico panorama de teses já formuladas sobre o tema aqui em questão, além de entender sob qual ótica os intérpretes analisaram este elemento no texto de Descartes. Por fim, apresentaremos nossa interpretação, na qual defenderemos a origem fisiológica da loucura, que, além de ser o motivo pelo qual o filósofo francês a rejeita enquanto argumento em seu texto, é o principal motivo pelo qual nenhum indivíduo dito como louco poderia rejeitar a verdade do Cogito e de toda a cadeia de razões que se segue.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DESCARTES, R. (1988) Meditações. Tradução de J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. São Paulo: Nova Cultural, 4. ed.

DESCARTES, R. (1996) Œuvres. Vol. 7. Publiées par Charles Adam et Paul Tannery. Paris: Vrin.

FORLIN, E. (2001). “O argumento cartesiano do sonho”, in Discurso, v. 32, pp. 235-248.

FORLIN, E. (2004) O papel da dúvida metafísica no processo de constituição do cogito. São Paulo: Associação Editorial Humanitas.

FOUCALT, M. (1978) História da loucura na Idade Clássica. Tradução de José Teixeira Coelho Netto. São Paulo: Perspectiva.

GUÉROULT, M. (2016). Descartes segundo a ordem das razões. Tradução de Érico Andrade. Discurso Editorial: São Paulo.

PORCHAT, O. P. (2007). Rumo ao ceticismo. São Paulo: Editora Unesp.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Alvarenga, J. (2022). Descartes e a rejeição da loucura enquanto argumento na primeira Meditação. Cadernos Espinosanos, (46), 83-104. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2022.194585

Edição

Seção

Artigos

Dados de financiamento