A teoria da linguagem de Hjelmslev: uma epistemologia imanente do conhecimento

Autores

  • Waldir Beividas Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2015.103769

Palavras-chave:

semiótica, imanência, arbitrariedade, epistemologia, conhecimento

Resumo

Em continuidade ao pensamento de Saussure, Louis Hjelmslev nos legou elementos sólidos para estabelecer uma teoria com metodologia descritiva da língua natural, de cunho integralmente imanente, teoria e metodologia aprumadas para serem constantemente produzidas e conduzidas a partir do interior da própria língua – tal como pleiteava ele, ao modo de uma linguística linguística – que não deixasse invadir suas descrições com argumentos, critérios, conceitos e pontos de vista oriundos de regiões transcendentes à língua, seja no seu plano da expressão, por critérios físico-acústicos, fisiológicos e congêneres, seja no seu plano do conteúdo, por conceitos psicológicos, sociológicos ou filosóficos, dentre outros. Suas formulações sobre uma linguística sui generis, imanente, operada com uma metodologia também imanente, nos legaram algo não muito bem notado, pouco enfatizado, ou ao menos não levado às últimas consequências, pela literatura linguística e semiótica até hoje, e até onde pude acompanhá-la. Este texto examina algumas das teses peremptórias de L. Hjelmslev sobre a linguagem como a forma básica pela qual concebemos o mundo à escala da fenomenologia humana. Pretende arguir que, em formulações hjelmslevianas sobre a imanência e sobre a língua natural, desenha-se uma verdadeira epistemologia do conhecimento, também imanente. Mais que isso, essa epistemologia ultrapassa o campo restrito das linguísticas e de sua própria metodologia imanente, defendida sobretudo nos Prolegômenos. Ela se direciona para o amplo campo das ciências, arrisco-me a dizer, das ciências humanas e também das ciências naturais. Tal epistemologia veio, no meu entendimento, anunciada com o gesto saussuriano da proposição do princípio do arbitrário do signo, do pacto semiológico que ele instaura e do contínuo ato semiológico que dele deriva como modo de presença e vida dos signos na vida social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-06-23

Como Citar

Beividas, W. (2015). A teoria da linguagem de Hjelmslev: uma epistemologia imanente do conhecimento. Estudos Semióticos, 11(1), 1-10. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2015.103769

Edição

Seção

Artigos