Construir uma epistemologia para a semiótica em 1966

Autores

  • Herman Parret Universidade Católica de Leuven (Bélgica).

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2017.141603

Palavras-chave:

epistemologia, Greimas, percepção, Sémantique structurale, teoria

Resumo

Por meio de uma leitura parafrástica do livro Sémantique structurale (Greimas, 1966), examinamos a arquitetura conceitual dos quatro grandes patamares em que foi pensada a semiótica de Greimas nesta obra fundadora: o da linguagem-objeto, o da metalinguagem descritiva, o da linguagem metodológica e, por fim, o nível epistemológico no qual se inscrevem seus postulados não-analisados e indefiníveis. Nossos comentários se dirigem também à complementaridade dos procedimentos indutivo e dedutivo, bem como à centralidade da noção de percepção nas bases dessa teoria, a aproximar seus pressupostos da fenomenologia de Merleau-Ponty. Ao final, interpretamos a inspiração epistemológica de Sémantique structurale, sem dúvida "cientificamente vocacionada", no quadro mais amplo de uma axiologia que recobre um tipo específico de humanismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Herman Parret, Universidade Católica de Leuven (Bélgica).

Professor Emérito do Instituto Superior de Filosofia da Universidade Católica de Leuven (Bélgica).

Downloads

Publicado

2017-12-20

Como Citar

Parret, H. (2017). Construir uma epistemologia para a semiótica em 1966. Estudos Semióticos, 13(2), 19-27. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2017.141603