Análise da análise: quadrado semiótico e gráfico tensivo

Autores

  • José Américo Bezerra Saraiva Universidade Federal do Ceará (UFC).

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2017.141610

Palavras-chave:

análise, sentido, significação, quadrado semiótico, gráfico tensivo

Resumo

Neste artigo pretendemos mostrar algumas das razões que sustentam a tomada de posição de Greimas frente à Filosofia, isto é, sua recusa a entrar na discussão sem fim acerca da origem do sentido. Não lhe interessava explicar, por exemplo, o sentido último das estruturas sintáticas que criava, se inerentes ao objeto ou incrustradas no aparelho cognitivo do sujeito, mas, partindo de pressupostos epistemológicos “pouco numerosos e tão gerais quanto possíveis”, proceder à formulação de estratégias de estruturação mínima do sentido via significação. Em seguida, buscamos demonstrar que o quadrado semiótico assume papel relevante como estratégia de manipulação do sentido via significação e que o gráfico tensivo constitui-se esquematicamente um seu prolongamento, voltado para a questão exclusiva do termo complexo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Américo Bezerra Saraiva, Universidade Federal do Ceará (UFC).

Docente do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal do Ceará (UFC) e coordenador do Grupo de Estudos Semióticos (SEMIOCE) na mesma universidade.

Downloads

Publicado

2017-12-20

Como Citar

Saraiva, J. A. B. (2017). Análise da análise: quadrado semiótico e gráfico tensivo. Estudos Semióticos, 13(2), 77-87. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2017.141610