Semiótica discursiva e Educação básica: um diálogo possível e necessário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2021.181019

Palavras-chave:

Formação de professores, Demandas de ensino-aprendizagem, BNCC, Semiótica discursiva.

Resumo

Com base em uma problematização de questões envolvidas na formação profissional de professores, propomos discutir as contribuições que a Semiótica Discursiva tem a oferecer à eficiência qualitativa da ação docente no contexto atual. Trataremos tanto do que se refere à competencialização no domínio de conhecimentos específicos do ensino de língua materna, quanto da preparação didática para isso, procurando mostrar que, por aumentar a competência de análise dos diferentes tipos de texto, a proposta teórico-metodológica da Semiótica favorece um modo eficaz de trabalhá-los em sala de aula. A atenção ao processo de formação docente e ao que se pode trazer para essa etapa como alguma colaboração importa, sobretudo, quando constatamos que o professor é a peça-chave no processo de transposição didática, ponto de articulação entre os saberes aí em jogo: o saber acadêmico-científico de referência, o saber a ensinar e o saber ensinado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Soares de Lima, Universidade de São Paulo

Pós-doutoranda do Departamento de Linguística, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), SP, Brasil.

Referências

BARRETTO, Elba Siqueira de Sá. Políticas de formação docente para a Educação Básica no Brasil: embates contemporâneos. Revista Brasileira de Educação, v. 20, n. 62, 2015. p. 679-701. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v20n62/1413-2478-rbedu-20-62-0679.pdf .

BORBA, Marília dos Santos; ARAGÃO, Rodrigo. Multiletramentos: novos desafios e práticas de linguagem na formação de professores de inglês. Polifonia, vol. 19, n. 25. Cuiabá, MT, 2012. p. 223-240. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/576 .

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (versão final homologada). Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CELANI, Maria Antonieta A. Perguntas ainda sem respostas na formação de professores de línguas. In: GIMENEZ, T. MONTEIRO, M. C. G. Formação de professores na América Latina e transformação social. Campinas, SP: Pontes, 2010.

CHEVALLARD, Yves. La transposition didactique. Du savoir savant au savoir enseigné. Grenoble: La pensée sauvage, 1991 [réédition augmentée].

FIORIN, José Luiz. O ensino da produção textual: a questão da coerência. Práxis (Rolim de Moura), vol. 4. Cacoal, RO, 2004. p. 75-92.

FRANCHI, Carlos. Criatividade e gramática. São Paulo: Secretaria da Educação, Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas, 1991.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. RJ/ SP: Paz & Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Conscientização. Teoria e prática da libertação. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FREIRE, Paulo; FAUNDEZ, Antonio. Por uma pedagogia da pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

GATTI, Bernadete A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade, vol. 31, n. 113. Campinas: CEDES - UNICAMP, 2010. p. 1355-1379. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v31n113/16 .

GATTI, B. A. Formação continuada de professores: a questão psicossocial. Cadernos de Pesquisa, n. 119. São Paulo, 2003. p. 191-204. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/n119/n119a10.pdf .

GERALDI, João Wanderley; SILVA, Lilian Lopes M.; FIAD, Raquel Salek.

Linguística, ensino de língua materna e formação de professores. D. E. L. T. A., vol. 12, n. 2, 1996. p. 307-326. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/delta/article/view/44033/29217 .

GOMES, Regina de Souza. Crise de veridicção e interpretação: contribuições da Semiótica. Estudos semióticos, vol. 15, n. 2, dossiê temático "Contribuições da Semiótica e de outras teorias do texto e do discurso ao ensino". São Paulo: USP, 2019. p. 15-30. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/esse/article/view/165198/158312 .

JANKS, Hilary. Literacy and power. London: Routledge, 2010.

KENSKI, Vani M. O ensino e os recursos didáticos em uma sociedade cheia de tecnologias. In: VEIGA, Ilma P. A. (org.). Didática: o ensino e suas relações. Campinas: Papirus, 1996.

LIMA, Eliane Soares de. (Multi)letramentos na escola: proposições da semiótica discursiva à ação didática. Revista do GEL, v. 16, n. 3, 2019a. p. 165-190. Disponível em: https://revistas.gel.org.br/rg/article/view/2804 .

LIMA, Eliane Soares de. De triagens a misturas: por uma compreensão semiótica do processo de transposição didática. Estudos semióticos, vol. 15, n. 2, dossiê temático "Contribuições da Semiótica e de outras teorias do texto e do discurso ao ensino". São Paulo: USP, 2019. p. 114-132. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/esse/article/view/165206/158320 .

LIMA, Eliane Soares de. Prática didática: entre a programação, a manipulação e o ajustamento. Estudos Linguísticos. [no prelo, artigo em avaliação]

MAGALHÃES, Maria Cecília C. (org.) A formação do professor como um profissional crítico. Linguagem e reflexão. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

MELLO, Guiomar Namo de. Formação inicial de professores para a educação básica: uma (re)visão radical. São Paulo em Perspectiva, vol. 14, n. 1, 2000. p. 98-110. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/spp/v14n1/9807.pdf .

MONTE MÓR, Walkyria. Formação Docente e Educação Linguística: uma perspectiva linguístico-cultural-educacional. In: SILVE, W. M. et al. (orgs). Desafios da Formação de Professores na Linguística Aplicada. Campinas: Ed. Pontes, 2019. p. 187-206.

PERRENOUD, Philippe. Construir compêtencias é virar as costas aos saberes? Pátio. Revista pedagogica, n. 11. Porto Alegre, Brasil, 1999. p. 15-19. Disponível em: http://www.unige.ch/fapse/SSE/teachers/perrenoud/php_main/php_1999/1999_39.html .

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2012.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R.; MOURA, E. (orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012. p. 11-31.

SAVIANI, Dermeval. Educação escolar, currículo e sociedade: o problema da Base Nacional Comum Curricular. Movimento. Revista de Educação, ano 3, n. 4. UFF, 2016. p. 54-84. Disponível em: http://www.periodicos.uff.br/revistamovimento/article/view/32575

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, 2009. p. 143-155. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n40/v14n40a12.pdf .

SOARES, Magda. Que professor de português queremos formar? Movimento, n. 3. Niterói, RJ, 2001. p. 149-55. Disponível em: http://www.filologia.org.br/viiisenefil/07.html .

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. BH: Autêntica, 1998.

SOUSA, Silvia Maria de; TEIXEIRA, Lucia. Contribuições da Semiótica às práticas de multiletramento. Estudos semióticos, vol. 15, n. 2, dossiê temático "Contribuições da Semiótica e de outras teorias do texto e do discurso ao ensino". São Paulo: USP, 2019. p. 46-62. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/esse/article/view/165201 .

STREET, Brian. Letramentos sociais. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2014.

TEIXEIRA, Lucia. Ensinar a ver, ensinar a gostar. Estudos Linguísticos, v. 37, n. 3. São Paulo: GEL, 2008. p. 335-340. Disponível em: http://www.gel.hospedagemdesites.ws/estudoslinguisticos/volumes/37/EL_V37N3_34.pdf .

TEIXEIRA, Lucia. Entre dispersão e acúmulo: para uma metodologia de análise de

textos sincréticos. Gragoatá, vol. 9, n. 16. Niterói, RJ, 2004. p. 209-227. Disponível em: https://periodicos.uff.br/gragoata/article/view/33349 .

TEIXEIRA, Lucia; FARIA, Karla; SOUSA, Silvia M. de. Textos multimodais na aula de português: metodologia de leitura. Desenredo, v. 10, n. 2. Passo Fundo, RS: UPF, 2014. p. 314-336. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/4295 .

UNESCO. O perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam. Pesquisa Nacional UNESCO. São Paulo: Moderna, 2004.

Downloads

Publicado

2021-04-15

Como Citar

Lima, E. S. de. (2021). Semiótica discursiva e Educação básica: um diálogo possível e necessário. Estudos Semióticos, 17(1), 13-36. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2021.181019

Edição

Seção

(ENCERRADO) Dossiê GT de Semiótica da Anpoll

Dados de financiamento

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)