Semiótica e cultura: campos do conhecimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2021.184016

Palavras-chave:

Cultura, Campo, Práxis enunciativa, éthos

Resumo

Neste ensaio examinaremos campos do conhecimento, concebidos como articulações semióticas da cultura. Partindo de pressupostos relativos à definição de campo apresentada por Bakhtin (2003), atentaremos para as articulações semióticas internas ao próprio campo – do que despontará o cotejo entre a literatura e a historiografia. Reinterpretado, o conceito de campo remeterá a condições de produção de uma semiose alargada para além dos limites de cada texto, sem que o texto seja descartado como unidade de análise. As condições de produção textual serão observadas conforme a vinculação delas a determinada práxis enunciativa (Bertrand, 1993), e conforme o entendimento de que a cada campo corresponde um modo estável de mobilizar a estesia da linguagem. Tal estabilidade favorecerá a depreensão do éthos da literatura e do éthos da historiografia, concebidos cada qual como determinada hexis corporal (Fontanille, 2008).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Norma Discini, Universidade de São Paulo

Docente do Programa de Pós-graduação em Semiótica e Linguística geral da Universidade de São Paulo (USP).

Referências

ARISTÓTELES. Arte poética. In: Arte Retórica e Arte poética. Rio de Janeiro: Edições de Ouro/ Tecnoprint Ltda, s/d. p. 277-351.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, Mikhail (VOLOCHÍNOV, V.N.). Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara F. Vieira. São Paulo: Hucitec, 1988.

BERTRAND, Denis. L’impersonnel de l’énonciation. Protée, v. 21, nº 1, 1993, p. 25-32.

BILAC, Olavo. Poesia. Rio de Janeiro: Livraria Agir Editora, 1968. p. 73-82.

BOSI, Alfredo. Entre a literatura e a história. São Paulo: Editora 34, 2013.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. São Paulo: Editora Nacional, 1975.

CANDIDO, Antonio. A personagem do romance. Candido et al. A personagem de ficção. São Paulo: Perspectiva, 2018. p. 51-80.

DISCINI, Norma. Corpo e estilo. São Paulo: Contexto, 2015.

ELLIS Myriam. As bandeiras na expansão geográfica do Brasil. In: Aziz N. Ab´Saber et al. (dir.). A época colonial, do descobrimento à expansão territorial. Vol. 1. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2010. p. 300-323.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

FONTANILLE, Jacques. L´analyse des pratiques: le cours du sens. Protée, Revue Internationale de théories et de pratiques sémiotiques. Répétition et habitude dans les pratiques quotidiennes, vol. 38, n. 2, automne 2010. p. 9- 19.

FONTANILLE, Jacques. Pratiques sémiotiques. Paris : Presses Universitaires de France, 2008.

FONTANILLE, Jacques. Semiótica do discurso. Trad. Jean Cristtus Portela. São Paulo: Contexto, 2007.

FONTANILLE, Jacques. De la sémiotique de la présence à la structure tensive. In : Landowski, Eric, Dorra Raúl e Oliveira Ana Cláudia de (dir.). Semiótica, estesis, estética. São Paulo/Puebla: Educ/BUAP, 1998. p. 213-239.

FONTANILLE, Jacques; ZILBERBERG, Claude. Tensão e significação. Trad. Ivã Carlos Lopes, Luiz Tatit e Waldir Beividas. São Paulo: Discurso Editorial: Humanitas/ FFLCH/USP, 2001.

FONTANILLE Jacques; COUÉGNAS Nicolas. Terres de sens, Limoges, Pulim, 2018.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC - Livros Técnicos e Científicos Editora S.A, 2008.

GREIMAS, Algirdas Julien. Semântica estrutural. São Paulo: Cultrix, 1976.

GREIMAS, Algirdas Julien. Sobre o sentido II: ensaios semióticos. Trad. Dilson Ferreira da Cruz. São Paulo: Nankin: Edusp, 2014.

GREIMAS, Algirdas Julien; COURTÉS, Joseph. Dicionário de Semiótica. Trad. Alceu Dias Lima et al. São Paulo: Contexto, 2008.

GREIMAS, Algirdas Julien; FONTANILLE, Jacques. Semiótica das paixões. Dos estados de coisas aos estados de alma. Trad. Maria José Rodrigues Coracini. São Paulo: Ática, 1993.

HJELMSLEV, Louis. Ensaios linguísticos. Trad. Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Perspectiva, 1991.

HJELMSLEV, Louis. Prolegômenos a uma teoria da linguagem. Trad. J. Teixeira Coelho Neto. São Paulo: Perspectiva, 2003.

LANDOWSKI, Eric. Une sémiotique à refaire? Galáxia [on-line]. Revista do Programa de Pós-Graduação da PUC-SP, n. 26. dez. 2013. p. 10-33.

LANDOWSKI, Eric. Presenças do outro. Ensaios de Sociossemiótica. Trad. Mary Amazonas Leite de Barros. São Paulo: Perspectiva, 2002.

PINSKY, Carla Bassanezi. Apresentação. In: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2008.

ZILBERBERG, Claude. Razão e poética do sentido. Trad. Ivã Carlos Lopes, Luiz Tatit e Waldir Beividas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

ZILBERBERG, Claude. Elementos de semiótica tensiva. Trad. Ivã Carlos Lopes, Luiz Tatit e Waldir Beividas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2011.

Downloads

Publicado

2021-08-13

Como Citar

Discini, N. (2021). Semiótica e cultura: campos do conhecimento. Estudos Semióticos, 17(2), 21-43. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2021.184016