Philosophie et sémiotique. Cassirer, Merleau-Ponty, Deleuze

Autores

  • Claude Zilberberg

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2011.35244

Palavras-chave:

acontecimento, extensidade, intensidade, linguagem, sujeito

Resumo

É costume ligar os textos a um autor em particular, mas, se os empréstimos – citações em estilo
direto, alusões em estilo indireto – solucionam a questão de fato, não solucionam a questão de direito, pois esta
última procede da sintaxe extensiva, a saber, a que opera por triagens e misturas. Com que direito pode alguém
“misturar” Cassirer e Hjelmslev? Ambos afirmam seu apego à estrutura, compartilhando um mesmo horizonte, o
da assimetria do espaço estrutural. Em Cassirer, assimetria entre o sagrado e o profano; assimetria entre as
grandezas intensivas, subjacentes aos valores de absoluto, e as grandezas extensivas, subjacentes aos valores
de universo. Entre Deleuze e Hjelmslev, a relação é, antes de mais nada, terminológica. Hjelmslev lança mão da
tensão entre grandezas intensas, basicamente nominais, e grandezas extensas, basicamente verbais. Deleuze, a
partir do eixo [intensidade vs. extensão], afirma que a intensidade se anula na extensão; tal processo reproduz
a tensão [concentração vs. difusão], central na obra La catégorie des cas (1972), de Hjelmslev. Já a relação
de Merleau-Ponty com a linguística, menos nítida, limita-se à menção do nome de Saussure, sem mais. As
teses condutoras da linguística só podiam, realmente, trazer embaraço para o fenomenólogo. O que a linguística
apreende não são essências disjuntas, e sim complexidades, interseções, nós. As grandezas linguísticas são, em
primeiro lugar, solidárias umas com as outras. Por fim, as significações estão na dependência da língua que as
formula. O controle da língua sobre o sentido, porém, não é total. Uma vez que a novidade não pode ser atribuída
à língua, Merleau-Ponty vê no surgimento da novidade-acontecimento a possibilidade de restringir esse controle,
restaurando assim as prerrogativas do sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2011-12-19

Como Citar

Zilberberg, C. (2011). Philosophie et sémiotique. Cassirer, Merleau-Ponty, Deleuze. Estudos Semióticos, 7(2), 1-7. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2011.35244

Edição

Seção

Artigos