As articulações entre o corpo e a maquiagem corporal de Craig Tracy

Autores

  • Mônica Ferreira Magalhães Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2011.35262

Palavras-chave:

pintura corporal, corpo, semiótica discursiva

Resumo

Este artigo parte do princípio de que a maquiagem e a pintura corporal são consideradas linguagens artísticas, constituídas de um plano de expressão e de um plano de conteúdo, e concretizadas em enunciados pintados sobre o rosto e/ou o corpo de um sujeito actante encarnado. Uma linguagem com fins estéticos mais convencionais, como algumas maquiagens sociais, ou ainda, com a capacidade de ultrapassar o sentido cotidiano, como as pinturas corporais. Verificam-se as relações entre o enunciado pintado e o corpo suporte em quatro trabalhos do artista plástico americano Craig Tracy: Three Weeks, Maya-Cross, Coil e Butterfly. Para isso, é utilizada a base teórica da semiótica discursiva e também é proposta uma metodologia de análise que considera a função semiótica do corpo e a práxis enunciativa dessas pinturas corporais. Os aspectos discursivos e tensivos são analisados a partir, fundamentalmente, dos conceitos propostos pelo semioticista Jacques Fontanille (2004). São observadas as transposições do envelope corporal em superfície de inscrições semióticas e as estratégias enunciativas que promovem ações operadas pela debreagem. Essas ações podem transformar o envelope corporal alterando ou conservando algumas das propriedades figurativas. Estas podem ser deformadas, invertidas ou espessadas por meio de excrescências ou também podem ser conservadas, deixando o corpo suporte recuado ou mesmo valorizado durante o ato enunciativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-06-09

Como Citar

Magalhães, M. F. (2011). As articulações entre o corpo e a maquiagem corporal de Craig Tracy. Estudos Semióticos, 7(1), 48-55. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2011.35262

Edição

Seção

Artigos