O éthos do sujeito negro na literatura brasileira

Autores

  • Cíntia Domingos Ribeiro Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Departamento de Linguística

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2008.49212

Palavras-chave:

éthos, literatura negra, enunciação, sujeito negro

Resumo

O objetivo deste trabalho é depreender o éthos do sujeito negro, na Literatura Brasileira, a partir do processo de figurativização e tematização dos atores de textos que apresentam este sujeito em posições enunciativas distintas: ora como enunciador, ora como enunciado. O corpus é composto pelo conto da literatura negra contemporânea, “Fábrica de fazer vilão” do livro Ninguém é inocente em São Paulo (Ferréz, 2006) e pela novela “Simeão crioulo” do livro As vítimas algozes (1896), de Joaquim Manuel de Macedo, representante do período do Romantismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-12-07

Como Citar

Ribeiro, C. D. (2008). O éthos do sujeito negro na literatura brasileira. Estudos Semióticos, (4). https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2008.49212

Edição

Seção

Artigos