Observações sobre a base tensiva do ritmo

Autores

  • Claude Zilberberg Sorbonne Paris IV

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2010.49265

Palavras-chave:

ritmo, tensividade, afetividade, acontecimento, profundidade

Resumo

Tirando as consequências da recomendação de Hjelmslev, segundo a qual os objetos podem ser compreendidos como "pontos de interseção de feixes de relações", o presente trabalho sublinha, não tanto as especificidades do ritmo, mas antes as formas de sua articulação no interior de um grupo de transformação; em outras palavras, seu lugar e sua interação em meio às noções correlatas. Para um ponto de vista tensivo, atento à irredutível complexidade dos valores, o ritmo vem se inscrever no cruzamento das valências de extensidade e intensidade, ao lado de três outras resultantes: a profundidade, o acontecimento e a ubiquidade. No diálogo com um certo número de autores que souberam ver o afeto, não como obstáculo, e sim como condição mesma da análise da significação, nosso estudo discute sucintamente essas grandes resultantes das dependências entre estados de coisas e estados de alma para a economia dos discursos, tanto na expressão quanto no conteúdo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-12-07

Como Citar

Zilberberg, C. (2010). Observações sobre a base tensiva do ritmo. Estudos Semióticos, 6(2), 1-13. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2010.49265

Edição

Seção

Artigos