Entre a moeda e o milagre: uma leitura semiótica do conto “Entre santos” de Machado de Assis.

Autores

  • Luciano Antonio Universidade de Londrina UEL

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2013.69534

Palavras-chave:

Machado de Assis, conto, semiótica, avareza

Resumo

Machado de Assis dedicou muito de sua produção ao gênero conto. Ainda que essa sua escrita já venha sendo analisada, alguns textos ainda carecem de maior atenção por parte da crítica especializada. Isso porque se trata de textos polissêmicos à moda irônica do escritor carioca. Um desses casos é o conto “Entre Santos” (2007), que narra, em tom de conto fantástico, a observação que um homem faz de um diálogo entre alguns Santos no altar da igreja. Nessa narrativa encaixada, temos a figura de São Francisco de Sales contando como fora o contato com um fiel que veio lhe pedir a restituição da saúde da esposa em troca de algum esforço não pecuniário. Assim, ao propor a troca, o homem se vê entre os sentimentos de amor à esposa de um lado e de outro demonstra claramente a sua avareza. A exposição desses diferentes estados d’alma é o fio condutor dessa narrativa machadiana. Como se pode observar pelo breve resumo do enredo, além do elemento insólito dessa narrativa, o texto segue aberto a outras análises. Nesse sentido, embora figure entre os Melhores Contos machadianos, acreditamos ainda insuficientes os estudos críticos até agora empreendidos. Sendo assim, escolhemos aqui expor outro viés, mais ligado à leitura semiótica da avareza contida na história narrada pelo Santo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-29

Como Citar

Antonio, L. (2013). Entre a moeda e o milagre: uma leitura semiótica do conto “Entre santos” de Machado de Assis. Estudos Semióticos, 9(2), 62-68. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2013.69534

Edição

Seção

Artigos