Sobre a categorização social na imagem científica

Autores

  • Elizabeth Harkot-de-La-Taille Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2014.90142

Palavras-chave:

imagem científica, categorização social, episteme, universo socioletal

Resumo

A imagem científica é aqui tratada enquanto sistema de significação (Groupe μ 1992, 1998) e, como tal, defendemos que comporta implícitos inerentes impressos pelas categorizações sociais dominantes no espaçotempo de sua proposição. Pensamos a categorização social (Van Dijk, 2008; Marcuschi 2007) como contendo as dimensões praxeológica, cultural e cognitiva. Ela se funda – alimentando-a - na episteme que rege um dado universo socioletal, em que opera uma espécie de “semiose orientada” na leitura dos fenômenos naturais e sociais, produzindo assim explicações compatíveis com os conhecimentos e as limitações – técnicas, tecnológicas, ideológicas – de sua época. Nas ciências, a imagem é empregada desde como recurso de representação pictórica concreta até como propositora de leituras inovadoras de um fenômeno. Por “imagem científica”, consideramos,
portanto, todo esforço de construção visual com o objetivo de compreensão ou de explicação científica. Para discutir o papel da categorização social na imagem científica, duas áreas distantes são abordadas, cada uma a partir de um exemplo: a astronomia, por três modelos do sistema solar propostos por Ptolomeu, Copérnico e Tycho Brahe, respectivamente; e o estatuto da língua inglesa na globalização, por meio da metáfora centromargem e do modelo de círculos concêntricos avançado por Kachru (1992). Tal como a língua, a imagem de um modelo científico não pode evitar a redução do objeto, da ideia ou da teoria que enuncia a variáveis conhecidas,
compreendidas e explicáveis (Klinkenberg 2011 a, b). Assim, um modelo adotado permanecerá aceito até que seu nível de operacionalidade seja colocado em xeque por insatisfações explicativas importantes e que um modelo mais potente, que recusa o anterior exatamente naquilo que lhe é tributário, seja proposto e o substitua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-12-13

Como Citar

Harkot-de-La-Taille, E. (2014). Sobre a categorização social na imagem científica. Estudos Semióticos, 10(2), 17-25. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2014.90142

Edição

Seção

Artigos