[1]
F. F. e Silva, “A construção do ator “menino”, em ‘As margens da alegria’”, Estud. Semiót., vol. 7, nº 1, p. 126-132, jun. 2011.