Neurociências e psicanálise

dialogando sobre o autismo

Autores

  • Marina da Rosa Vilani Centro Universitário da Serra Gaúcha
  • Ilvo Fernando Port Centro Universitário Instituição Evangélica de Novo Hamburgo e da Faculdade da Serra Gaúcha, Caxias do Sul, RS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v23i1p130-151

Palavras-chave:

autismo, neurociências, psicanálise

Resumo

A partir de um entendimento integrativo entre psicanálise e neurociências, busca-se compreender a etiologia do autismo. Trata-se de uma revisão bibliográfica narrativa que abarcou dados da história e do conceito de autismo por meio de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório em bases de dados, periódicos e livros. Apesar das divergências acerca da etiologia e tratamento entre as áreas, algumas investigações desenvolvidas concluem que, quando uma criança nasce com vulnerabilidades orgânicas, estas podem afetar o exercício das funções parentais. Assim, poderá ocorrer a potencialização ou o surgimento de traços autísticos no âmbito psíquico e, também, neurobiológico, dado que o desenvolvimento orgânico ocorre concomitantemente à subjetivação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina da Rosa Vilani, Centro Universitário da Serra Gaúcha

Graduada em Psicologia pelo Centro Universitário da Serra Gaúcha, Caxias do Sul, RS, Brasil.

 

Ilvo Fernando Port, Centro Universitário Instituição Evangélica de Novo Hamburgo e da Faculdade da Serra Gaúcha, Caxias do Sul, RS, Brasil.

Mestre e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor  do Centro Universitário Instituição Evangélica de Novo Hamburgo e da Faculdade da Serra Gaúcha, Caxias do Sul, RS, Brasil.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

da Rosa Vilani, M., & Port, I. F. (2018). Neurociências e psicanálise: dialogando sobre o autismo. Estilos Da Clinica, 23(1), 130-151. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v23i1p130-151