Reflexões sobre as práticas psicanalíticas com crianças autistas no Brasil

Autores

  • Anahi Canguçu Marfinati
  • Jorge Luís Ferreira Abrão Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v23i1p152-174

Palavras-chave:

autismo, psicanálise, história, Brasil

Resumo

 Este trabalho é fruto de uma pesquisa, que buscou compreender o surgimento e desenvolvimento das práticas psicanalíticas ligadas ao atendimento de crianças autistas brasileiras, no período de 1990 a 2010. Com o intuito de alcançarmos os objetivos propostos, fizemos uso de duas fontes históricas: documentais e orais. A primeira foi empregada para que pudéssemos identificar as práticas psicanalíticas e verificar quais os profissionais que mais publicaram na área, os quais foram entrevistados. Por meio da análise das entrevistas, discorremos acerca de questões importantes para compreensão das práticas psicanalíticas desenvolvidas em território nacional, apresentadas ao longo desse artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anahi Canguçu Marfinati

Especialista em Saúde Mental para Equipes Multiprofissionais pela Universidade Paulista. Mestre em Psicologia pela Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), Assis, SP, Brasi

Jorge Luís Ferreira Abrão, Universidade Estadual Paulista

Livre-docente em Psicologia Clínica e professor adjunto do Departamento de Psicologia Clínica da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Assis, SP, Brasil.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

Marfinati, A. C., & Abrão, J. L. F. (2018). Reflexões sobre as práticas psicanalíticas com crianças autistas no Brasil. Estilos Da Clinica, 23(1), 152-174. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v23i1p152-174