O impacto da escola na ideação suicida de adolescentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v25i3p471-487

Palavras-chave:

adolescência, suicídio, escola

Resumo

Na escola, os adolescentes ampliam seu convício social e vivenciam importantes transformações psíquicas, tornando-a um ambiente propício ao surgimento de condutas psicopatológicas, como a ideação suicida. Por meio de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório, buscamos compreender a percepção de adolescentes quanto à implicação do espaço escolar em sua ideação suicida. Aplicou-se uma entrevista semiestruturada com quatro adolescentes, estudantes de escolas públicas, a qual foi analisada mediante a estratégia clínico-interpretativa. Constatou-se que os participantes não consideram a escola um espaço amenizador de seu sofrimento psíquico. Considera-se importante a presença do psicólogo na escola para possibilitar a criação de novos destinos aos conflitos adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adams Friedemann, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)

Psicólogo. Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil

Joana Narvaez, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)

Psicóloga. Professora adjunta da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

Aberastury, A. (1986). O adolescente e o mundo atual. In A. Aberastury & M. Knobel. Adolescência normal: um enfoque psicanalítico (S. M. G. Ballve, trad., 5a ed., pp. 88-90). Porto Alegre, RS: Artes Médicas. (Trabalho original publicado em 1981)

Aberastury, A. (1983). Adolescência. In A. Aberastury (org.). Adolescência (R. Cabral, trad., 2a ed., pp. 15-32). Porto Alegre, RS: Artes Médicas. (Trabalho original publicado em 1978)

Barbosa, A. C. A. (2008). A angústia como incidência clínica do irrepresentável da pulsão: desamparo, trauma e repetição. Reverso, 30(56), 41-60. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/reverso/v30n56/v30n56a05.pdf

Birman, J. (2014). O sujeito na contemporaneidade. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira.

Birman, J. (2017). Mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Blos, P. (1985). Adolescência: uma interpretação psicanalítica (V. Dutra, trad.). Rio de Janeiro: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1962)

Calligaris, C. (2011). A adolescência. São Paulo: Publifolha.

Carneiro, C., Souza, L. T. R., Coutinho, L. G., & Silva, R. P. F. (2016). Adolescência e expressões do mal-estar: estudo de casos. Estilos da Clínica, 21(3), 548.572. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v21i3p548-572

Cohen, R. H. P., Lessa, C. F., Melo, D. C., Cohen, G., Sias, M. D. D., Serafim, O. G. G., Alves, R. T. M., & Abecassis, R. (2001). O lugar do psicanalista na escola. Estilos da Clínica, 6(11), 17-26. doi: https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v6i11p17-26

Coutinho, L. G. (2016). O adolescente e a educação no contemporâneo: o que a psicanálise tem a dizer. Cadernos de Psicanálise, 37(33), 155-174. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cadpsi/v37n33/v37n33a08.pdf

Cremasco, M. V. F., & Brunhari, M. V. (2009). Da angústia ao suicídio. Revista Mal-Estar e Subjetividade, 9(3), 785-814. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/malestar/v9n3/03.pdf

Dockhorn, C. N. B. F., & Macedo, M. M. K. (2015), Estratégia clínico-interpretativa: Um recurso à pesquisa psicanalítica. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 31(4), 529-535. http://doi.org/10.1590/0102-37722015042473529535

Dussel, I., & Caruso, M. (2003). De pedantes, pedagogos e sala de aula. In I. Dussel & M. Caruso. A invenção da sala de aula (3a. ed., pp. 13-28). São Paulo, SP: Moderna.

Freud, S. (2006). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In S. Freud. Edição standart brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (J. Salomão, trad., Vol. 7, pp. 119-217). Rio de Janeiro, RJ: Imago. (Trabalho original publicado em 1905)

Freud, S. (2006). Contribuições para uma discussão acerca do suicídio. In S. Freud. Edição standart brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (J. Salomão, trad., Vol. 11, pp. 243-244). Rio de Janeiro, RJ: Imago. (Trabalho original publicado em 1910)

Freud, S. (2006). Sobre o narcisismo: uma introdução. In S. Freud. Edição standart brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (J. Salomão, trad., Vol. 14, pp. 77-108). Rio de Janeiro, RJ: Imago. (Trabalho original publicado em 1914)

Freud, S. (2006). O mal-estar na civilização. In S. Freud. Edição standart brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, (J. Salomão, trad., Vol. 21, pp. 63-148). Rio de Janeiro, RJ: Imago. (Trabalho original publicado em 1930)

Gurski, R. (2014). Três tópicos para pensar “a contrapelo” o mal-estar na educação atual. In R. Voltolini (org.) (pp. 166-180). Retratos do mal-estar contemporâneo na educação. São Paulo, SP: Escuta.

Knobel, M. (1986). A síndrome da adolescência normal. In A. Aberastury, & M. Knobel (orgs.). Adolescência normal: um enfoque psicanalítico (S. M. G. Ballve, trad., 5a ed., pp. 24-62). Porto Alegre, RS: Artmed. (Trabalho original publicado em 1981)

Kupfer, M. C. M. (2007). Educação para o futuro. Psicanálise e educação. São Paulo, SP: Escuta.

Macêdo, K. B. (2012). O desamparo do indivíduo na modernidade. Ecos, 2(1), 95-107. Recuperado de http://www.periodicoshumanas.uff.br/ecos/article/view/742/660

Macedo, M. K. M., Azevedo, B. H., & Castan, J. U. (2012). Adolescência e psicanálise. In M. K. M. Macedo (org.). Adolescência e psicanálise: intersecções possíveis (pp. 15-54). Porto Alegre, RS: EDIPUCRS.

Macedo, M. K. M., Fensterseifer, L., & Werlang, B. S. G. (2012). Ressignificações no processo adolescente. In M. K. M. Macedo (org.). Adolescência e psicanálise: intersecções possíveis (pp. 55-71). Porto Alegre, RS: EDIPUCRS.

Macedo, M. M. K., & Werlang, B. S. G. (2007a). Tentativa de suicídio: o traumático via ato-dor. Psicologia: teoria e pesquisa, 23(2), 185-194. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722007000200009

Macedo, M. M. K., & Werlang, B. S. G. (2007b). Trauma, dor e ato: o olhar da psicanálise sobre uma tentativa de suicídio. Ágora, 10(1), 89-106. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-14982007000100006

Macedo, M. M. K., Werlang, B. S. G., & Dockhorn, C. N. B. F. (2008). Vorstellung: a questão da representabilidade. Psicologia: Ciência e Profissão, 28(1), 68-81. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932008000100006

Mannoni, M. (2005). La teoría en entredicho. In M. Mannoni. La educación impossible (P. Soto, trad., 11a ed., pp. 19-65). Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores. (Trabalho original publicado em 1979)

Martins, V. A. G. (2001). Espaço escolar como herdeiro das funções parentais. Estilos da Clínica, 6(11), 27-32. Doi: https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v6i11p27-32

Paz, L. R. (1983). Adolescência: Crise de dessimbiotização. In A. Aberastury (org.). Adolescência (R. Cabral, trad., 2a ed., pp. 165-184). Porto Alegre, RS: Artes Médicas. (Trabalho original publicado em 1978)

Pereira, M. R. (2013). Os profissionais do impossível. Educação & Realidade, 38(2), 485-499. https://doi.org/10.1590/S2175-62362013000200008

Tavares, L. A. T. (2010). Contemporaneidade e “mal-estar”. In L. A. T. Tavares. A depressão como “mal-estar” contemporâneo: medicalização e (ex)-sistência do sujeito depressivo (pp. 27-66). São Paulo, SP: Cultura Acadêmica.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

Friedemann, A., & Narvaez, J. (2020). O impacto da escola na ideação suicida de adolescentes. Estilos Da Clinica, 25(3), 471-487. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v25i3p471-487