"Da cidade à rede, tem parada?" : Estação Psicanálise na pandemia de Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v26i2p297-311

Palavras-chave:

psicanálise, espaço público, coletivo, pandemia, atendimento online

Resumo

Este texto procura pensar o atravessamento da pandemia de Covid-19 no coletivo Estação Psicanálise, um grupo heterodoxo de psicanalistas que realizam atendimentos em espaço público na cidade de Campinas. Com as medidas de isolamento, nosso dispositivo se transformou. O texto procura pensar tais transformações, a partir de três leituras diferentes sobre o impacto da pandemia no dispositivo: sobre sua história, sobre a formação do analista e sobre os efeitos psíquicos nos sujeitos escutados pelos analistas do coletivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Lima de Oliveira, Universidade Estadual de Campinas

Mestrando em Filosofía pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil.

Daniel Mondoni, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Lingúistica pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), membro da Tykhé Associação de Psicanálise, Campinas, SP, Brasil.

Lucas Palma, Tykhé Associação de Psicanálise

Psicólogo clínico, membro da Tykhé Associação de Psicanálise, Campinas, SP, Brasil.

Referências

Ab’Sáber, T., & Broide, E. E.(2017). Clínicas públicas de psicanálise. Lacuna: uma revista de psicanálise, 3. Recuperado de https://revistalacuna.com/2017/04/28/n3-02/#more-1846

Danto, E. A. (2019). As clínicas públicas de Freud: psicanálise e justiça social (M. Goldstajn, trad.). São Paulo, SP : Editora Perspectiva. (Trabalho original publicado em 2005).

Golder, E. M. A. (2000). Clínica da Primeira Entrevista (P. Abreu, trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Trabalho original publicado em 1996).

Endo, P. (2019). Tempo, trauma e os narradores do destino em Auschwitz-Birkenau. In: Calibán: Revista Latinoamericana de Psicoanálisis; 17(2):102-112.

Fingermann, D. (2008). Os tempos do sujeito do inconsciente (p. 9). Anais do V Encontro Internacional da IF-EPFCL. São Paulo: Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano.

Fingermann, D. (2009). O tempo na experiência da psicanálise. Revista USP, (81), 58-71. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i81p58-71

Freud, S. (2010a). O inconsciente. In S. Freud, Sigmund Freud obras completas, (P. C. de Souza, trad., Vol. 12, pp. 99-150). São Paulo: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1915).

Freud, S. (2010b). Considerações atuais sobre a guerra e a morte. In S. Freud, Sigmund Freud obras completas, (P. C. de Souza, trad., Vol. 12, pp. 209-246). São Paulo: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1915).

Freud, S. (2010c). Luto e melancolia. In S. Freud, Sigmund Freud obras completas, (P. C. de Souza, trad., Vol. 12, pp. 170-194). São Paulo: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1917).

Haldermann, G. (2008). El tiempo, la discontinuidad y el corte (pp. 196-198). Anais do V Encontro Internacional da IF-EPFCL. São Paulo: Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano.

Koltai, C. (2016). Entre psicanálise e história: o testemunho. Psicologia USP [online], 27(1). doi: https://doi.org/10.1590/0103-6564D20150009

Lacan, J. (1998). O tempo lógico e a asserção de certeza antecipada. In J. Lacan, Escritos (V. Ribeiro, trad., pp. 197-213). Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar. (Trabalho original publicado em 1945).

Lacan, J. (2005). O seminário, livro 10: a angústia (V. Ribeiro, trad.). Rio de Janeiro, RJ: Zahar. (Apresentação oral em 1962-63, original publicado em 2004).

Lima, R. A. (2019). Clínicas Públicas nos primórdios da psicanálise: uma introdução. Teoría y crítica de la Psicología, 12, 292-314. Recuperado de https://www.teocripsi.com/ojs/index.php/TCP/article/view/292

Marino, A. S., Coaracy, A. G., & Oliveira, T. (2018). Uma experiência de clínica aberta de psicanálise. Lacuna: uma revista de psicanálise, 5. Recuperado de https://revistalacuna.com/2018/06/04/n05-04/

Soler, C. (2018). Adventos do real : da angústia ao sintoma (E. Saporiti, trad.). São Paulo, SP : Aller Editora. (Trabalho original publicado em 2015).

Viltard, M. (1999). Os públicos de Freud. Literal nº 4. Escola de Psicanálise de Campinas.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

Oliveira, G. L. de, Mondoni, D., & Palma, L. (2021). "Da cidade à rede, tem parada?" : Estação Psicanálise na pandemia de Covid-19. Estilos Da Clinica, 26(2), 297-311. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v26i2p297-311