Do Unheimlich ao semelhante: como o encontro com o outro pode nos ensinar sobre nossa condição estrangeira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v28i2p175-185

Palavras-chave:

imigrações, Unheimlich, inclusão, semelhante

Resumo

Este artigo aborda questões de imigrações forçadas e como se dá o encontro entre nativos e migrantes. Para isso, busca-se, a partir do conceito de Freud (1919) de Unheimlich, discorrer como todos são constituídos psiquicamente por uma estranheza familiar e como tal encontro coloca isso em evidência. Se, por um lado, o nativo de um país se vê incomodado diante do estrangeiro e isso lhe evoca sua própria infamiliaridade, é preciso realçar que, para o estrangeiro, tudo no novo país lhe é estranho. Por isso, ele vive uma dupla estranheza, de si mesmo e do novo lugar que habita. Discute-se ademais a questão da inclusão de migrantes na escola e aponta-se para a possibilidade de deslizamento do migrante como Unheimlich para a condição de semelhante.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Candice Marques de Lima, Universidade Federal de Goiás. Faculdade de Letras

    Professora na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, Brasil.

Referências

Darwich, M. (2021). Onze astros. (Michel Sleiman, trad.). Rio de Janeiro:Tabla.

Freud, S. (1996). O mal-estar na civilização. In S. Freud, Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (J. Salomão, trad., Vol. 21, pp. 65-148). Rio Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1930 [1929]).

Freud, S. (2019). O Infamiliar [Das Unheimliche] edição bilíngue. (Ernani Chaves & Pedro Heliodoro Tavares, trad.). Belo Horizonte: Autêntica. (Trabalho originalmente publicado em 1919).

Habermas, J. (2018). A inclusão do outro. (Denilson Luís Werle, trad.). São Paulo:Editora Unesp. (Trabalho originalmente publicado em 1996).

Hoffmann, E.T.A. (1815). O homem da areia. (Romero Freitas, trad.). In: Freud, S. (2019). O Infamiliar [Das Unheimliche] edição bilíngue. (Ernani Chaves & Pedro Heliodoro Tavares). Belo Horizonte: Autêntica.

Iannini, G. & Tavares, P.H. (2019). Freud e o infalimiliar. In: Freud, S. (2019). O Infamiliar [Das Unheimliche] edição bilíngue. (Ernani Chaves & Pedro Heliodoro Tavares, trad.). Belo Horizonte: Autêntica. (Trabalho originalmente publicado em 1919).

Joia, J.H. (2021). Infâncias imigranges, silêncios e fronteiras do cuidado em um CAPS infantojuvenil. Estilos da Clínica, 26(1), 145-159. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v26i1p145-159

Korff-Sausse, S. (2010). Figures du handicap: Mythes, arts, littérature. Paris: Éditions Payot & Rivages.

Meruane, L. (2019). Tornar-se palestina. (Mariana Sanchez, trad.). Belo Horizonte: Relicário.

Rosa, M.D., Berta, S.L.; Carignato, T.T. & Alencar, S. (2009). A condição errante do desejo: os imigrantes, migrantes, refugiados e a prática psicanalítica clínico-política. Revista Lationamericana de Psicopatologia Fundamental, 12(3), 497-511. doi: https://doi.org/10.1590/S1415-47142009000300006

Voltolini, R. (2022). Crinças fora-de-série: psicanálise e educação inclusiva. São Paulo: Benjamin Editorial, 2022.

Weekes, R. (diretor). 2020. O que ficou para trás [Netflix]. Reino Unido; Estados Unidos: Vertigo Entertainment.

Downloads

Publicado

2023-08-20

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

Do Unheimlich ao semelhante: como o encontro com o outro pode nos ensinar sobre nossa condição estrangeira. (2023). Estilos Da Clinica, 28(2), 175-185. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v28i2p175-185