A construção da infância: entre os saberes científicos e as práticas sociais

Autores

  • Viviane Neves Legnani Universidade Católica de Brasília
  • Sandra Francesca Conte de Almeida Universidade Católica de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v9i16p102-121

Palavras-chave:

Infância, Psicanálise, Práticas sociais

Resumo

O artigo aborda os determinantes históricos e os fundamentos epistemológicos que edificaram a noção de “criança normal”, advinda do campo científico da modernidade. Analisa, também, os efeitos dessa concepção ao ser incorporada às práticas educacionais, sobretudo por meio das teorias psicológicas. Discute, ainda, os impasses vividos pelas equipes interdisciplinares, compostas por profissionais das áreas de saúde e educação, que atendem às crianças com diferentes problemáticas, ao tentarem responder às questões “o que é uma criança?”, “como se desenvolvem as psicopatologias da infância?”, “o que se trata, em uma criança?” Na conclusão, discute a função do psicanalista em uma atuação no campo interdisciplinar de modo que seja assegurado à criança um lugar de sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2004-06-01

Como Citar

Legnani, V. N., & Almeida, S. F. C. de. (2004). A construção da infância: entre os saberes científicos e as práticas sociais. Estilos Da Clinica, 9(16), 102-121. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v9i16p102-121

Edição

Seção

Artigos