"Deuses de prótese": sobre os mestres de nossos tempos

Autores

  • Marcelo Ricardo Pereira USP; LEPSI

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v11i21p82-107

Palavras-chave:

Declínio do mestre, Psicanálise do vínculo, Social, Ética do provisório

Resumo

O texto pretende entender o declínio dos mestres na modernidade ou o quanto eles próprios se dizem "desvalorizados", "desmoralizados" e "desautorizados". O mestre nostalgicamente idealizado e abnegado de outrora cedeu lugar a um profissional sucumbido à atual massificação educacional e à crise política da autoridade. "Deus está morto", diria Nietzsche, ou o "Pai está morto", diria Freud. Seria, então, o mestre uma contínua tentativa do humano de revivificar pai e Deus? Isso não é senão condená-lo indefinidamente à impostura? Será este, pois, o tempo para admitirmos o mestre em sua real condição contingente e provisória?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-12-01

Como Citar

Pereira, M. R. (2006). "Deuses de prótese": sobre os mestres de nossos tempos. Estilos Da Clinica, 11(21), 82-107. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v11i21p82-107