A clínica psicanalítica: de crianças a bebês, uma especificidade

Autores

  • Denise Carvalho Barbosa Espaço Moebius de Psicanálise

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v17i2p262-277

Palavras-chave:

bebês, clínica psicanalítica, crianças, psiquismo infantil

Resumo

Em sua origem, a clínica psicanalítica de crianças nos brindou com os importantes aportes de Melanie Klein e Anna Freud, que nos apontaram a especificidade dessa clínica. Se o que antes ocupava as analistas repercutia na técnica a ser utilizada com crianças, nossa proposição sustenta uma especificidade ainda mais singular quando se trata de bebês, uma vez que não se pode escutálos da mesma maneira que se escuta uma criança que já encena em seu brincar a apropriação dos significantes do Outro. Na atualidade, após décadas de história clínica veremos que, além da importância de uma estratégia clínica apropriada ao psiquismo infantil, será na relação do inconsciente com a linguagem que esta clínica encontrará subsídios que autorizem uma intervenção analítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-01

Como Citar

Barbosa, D. C. (2012). A clínica psicanalítica: de crianças a bebês, uma especificidade. Estilos Da Clinica, 17(2), 262-277. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v17i2p262-277

Edição

Seção

Dossiê: A Clínica Psicanalítica com Crianças: Desafios e Resultados