A criança na contemporaneidade: entre saber e gozo

Autores

  • Miriam Debieux Rosa Pontificia Universidade Católica de São Paulo; Programa de Pós-Graduação da Psicologia Social
  • Cristine Lacet Universidade Presbiteriana Mackenzie; Curso de Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v17i2p359-372

Palavras-chave:

criança, constituição subjetiva, família, contemporaneidade, psicanálise, saber

Resumo

A psicanálise contribuiu para que as crianças deixassem de ser tomadas como ingênuas e docilmente educáveis quando lhes atribuiu um saber, as teorias sexuais. Assim demonstrou a possibilidade de elas formularem os modos como se procedem as relações afetivas, sexuais e de poder entre as pessoas das quais depende. Na atualidade, a suposição de saber às crianças toma outras conotações quanto ao lugar político-libidinal a elas reservado e abre a dimensão do gozo sem limites em seu trato no que concerne aos abusos e às explorações. Discutiremos acerca do lugar atribuído à criança na família, na mídia e na ciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-01

Como Citar

Rosa, M. D., & Lacet, C. (2012). A criança na contemporaneidade: entre saber e gozo. Estilos Da Clinica, 17(2), 359-372. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v17i2p359-372