A psicanálise da criança: uma situação violenta

Autores

  • Bernard Pechberty Universidade de Paris V; Departamento de Ciências da Educação

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v6i10p7-27

Palavras-chave:

Separação, dispositivo, violência psíquica, transferência, contratransferência

Resumo

A psicanálise de crianças é uma situação clínica particular em que a violência psíquica tem um lugar maior. O sintonia da criança, sua não demanda, a implicação dos pais, a atividade do terapeuta situam-se nessa dimensão. O dispositivo da cura organiza os laços e separações efetivas e simbólicas entre crianças e pais. O eixo adulto-criança, feito de dependência e de diferenciação, estrutura a relação terapêutica. Enfim, o analista, na escuta e elaboração que ele propõe, acolhe os movimentos pulsionais da criança. Estes, ligados à sexualidade infantil, têm ressonância no sentir e na contra-transferência. A ativação dos processos primários inconscientes e ampliada em cada protagonista neste contexto particular. Os exemplos clínicos evocados esclarecem esses diferentes parâmetros. Duas formas de violência psíquica acompanham assim o trabalho psicanalitico: uma mortífera, repetitiva, e outra separadora, portadora de vida, possibilitando a simbolização dos conflitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2001-06-01

Como Citar

Pechberty, B. (2001). A psicanálise da criança: uma situação violenta. Estilos Da Clinica, 6(10), 7-27. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v6i10p7-27

Edição

Seção

Dossiê