Autismo e os primórdios da palavra: pulsão invocante, corpo e linguagem

Autores

  • Aline Alves da Silva Travaglia Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v19i2p263-276

Palavras-chave:

psicanálise, autismo, linguagem, voz.

Resumo

A partir do enigma colocado pelo autismo, o presente trabalho analisa a entrada do bebê na linguagem, as vicissitudes da incorporação da voz e sua operação enquanto objeto pulsional. Consideramos o manhês e a lalação como fenômenos em que a função sonora e a função significante da voz operam para articular o encontro entre o real do corpo do infans com o simbólico da linguagem. Demarcamos que não há uma ordem instintiva ou natural para a entrada na linguagem, que a palavra é algo estrangeiro ao neonato. Consideramos tais elaborações fundamentais para direcionar o trabalho clínico com o autismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Alves da Silva Travaglia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Psicologia Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Downloads

Publicado

2014-08-21

Como Citar

Travaglia, A. A. da S. (2014). Autismo e os primórdios da palavra: pulsão invocante, corpo e linguagem. Estilos Da Clinica, 19(2), 263-276. https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v19i2p263-276