[1]
C. V. Gonçalves, “O brincar como experiência intersubjetiva de comunicação no psicodiagnóstico interventivo infantil”, Estilos Clín. (Online), vol. 24, nº 3, p. 482-496, dez. 2019.