Brasileiros no Chile: o funcionamento do ‘mercado da saudade’ via redes sociais virtuais transnacionais

Autores

  • Camila Escudero Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/extraprensa2022.199885

Palavras-chave:

Brasileiros no Chile, Transnacionalismo, Webdiáspora, Redes migratórias, Mercado da saudade

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar as formas de utilização das redes sociais virtuais por brasileiros estabelecidos no Chile, no que se refere às articulações e interações desses emigrantes na movimentação de “negócios étnicos”, grosso modo, empreendimentos de renda financeira criados por e para migrantes no país de destino. Como recursos teórico-metodológicos, nos baseamos nos conceitos de transnacionalismo, redes migratórias e webdiáspora, e realizamos uma análise de conteúdo, de abordagem qualitativa, sobre um corpus constituído de cinco páginas de diferentes grupos voltados para brasileiros no Chile presentes no Facebook, que reúnem 81.998 membros. Entre os principais resultados, destacamos que, ao recorrer a elementos identitários do Brasil, evocam-se hábitos, costumes e tradições vivenciadas pelos membros do grupo no país de origem, que acabam por gerar participação e despertar sentimentos de pertencimento, nostalgia e memórias, reforçando a ideia de “mercado da saudade” alinhado à proposta de “economia criativa”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Escudero, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com período de pesquisa no Latin American and Latin Studies Program da University of Illinois at Chicago (UIC). Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo, na linha de pesquisa Comunicação Comunitária, Territórios de Cidadania e Desenvolvimento social. Assistente de pesquisa no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) no projeto Mapa das OSCs. Membro da equipe de formadores do Núcleo Educom, da Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São Paulo. Consultora da OIM e da UNESCO, das Nações Unidas, escritório do Brasil.

Referências

ARANGO, J. La explicación teórica de las migraciones: luz y sombra. Migración y Desarrollo, n. 01, 2003, p. 1-30.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BASCH, L; BLANC-SZANTON, C; SCHILLER, N. G.. Transnationalism – A new analytic framework for understanding migration. Annais New York Academy of Science, Vol. 645, p. 1-24, 1992.

BOURDIEU, P. Raisons pratiques. Paris: Seuil, 1994.

BRINKHERHOOF, J. M. Digital diasporas – Identity and transnational Engagement. New York: Cambridge University Press, 2009.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

CRUZ, F. L. da. Frente Brasileño de Informaciones e Campanha: O jornal de brasileiros exilados no Chile e na França (1968 – 1979). Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2010.

CRUZ, E. P; FALCÃO, R. P de Q. Orientação de mercado para pequenas e médias empresas de imigrantes brasileiros no exterior. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, São Paulo, V. 9, N. 4, Set./Dez. 2020, p. 641-671. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/7610399.pdf. Acesso em: 04 jul. 2022.

DIMINESCU, D. The connected migrant: an epistemological manifesto. Social Science Information, vol. 47, n. 4, 2008, p. 565-579.

ELHAJJI, M.; ESCUDERO, C. Narrativas, territorialidades e memória coletiva no contexto webdiaspórico. In: CASTRO, P. C. (Org.) Circulação discursiva e transformação da sociedade. Campina Grande: EDUEPB, 2018.

ELHAJJI, M.; ESCUDERO, C. Webdiaspora, migration transnationales et mémoire collective: entre récits et repères. In: ZOUARI, K. (Org.) Migrations contemporaines, territorialité, information et communication médiatisées. Paris: Michel Houdiard Éditeur, 2019, p. 13-29.

ELHAJJI, M.; ESCUDERO, C. Webdiaspora.br: Migrações, TICs e identidades transnacionais no Brasil. Porto Alegre: Editora FI, 2020.

ELHAJJI, M.; ESCUDERO, C. As comunidades latinas de São Paulo e sua comunicação webdiaspórica. Revista Comunicação & Inovação, vol. 22, n. 48, 2021, p. 97-114.

ESCUDERO, C. Comunidades em festa: a construção e expressão das identidades sociais e culturais do imigrante nas celebrações das origens. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura) – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, 2017.

FERNANDEZ, V. P. R. História oral de chilenos em Campinas – Dilemas da construção de identidade imigrante. Salvador: Pontocom, 2013.

GOMES, L. A. S.; LE BOURLEGAT, C. A. Empreendedorismo étnico e de autoemprego em um olhar para as comunidades de imigrantes. Revista Interações, Campo Grande, MS, v. 21, n. 2, p. 317-330, abr./jun. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/inter/a/5m7RK73TTNxPj5cQwkxwmMN/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 4 jul. 2022.

MATTELART, T. Les diasporas à l’heure des technologies de l’information et de la communication: petit état des savoirs. In: MATTELART, T. (Org.). TIC & DIASPORAS. Revista Tic & Societé, vol. 3, n. 1-2, 2009.

MRE – MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Comunidade brasileira no exterior: Estimativas referentes ao ano de 2020. Secretaria de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania, Departamento Consular, Brasília, 2021.

OBMigra – Observatório das Migrações Internacionais. “2011-2020: Uma década de desafios para a imigração e refúgio no Brasil”. Brasília: Ministério da Justiça e Segurança Pública e Universidade de Brasília (UnB), 2021.

PADRÓS, E. S.; SIMÕES, S. A ditadura brasileira e o golpe de estado chileno. Revista Outros Tempos, vol. 10, n. 16, 2013, p. 229-255. Disponível em: https://documentosrevelados.com.br/wp-content/uploads/2017/10/padros-chile.pdf. Acesso em: 04 jul. 2022.

PORTES, A. Convergências teóricas e dados empíricos no estudo do transnacionalismo imigrante. Revista Crítica de Ciências Sociais, 69, Outubro 2004, p. 73-93.

LIMA, I. P. de. “Brachilenos” e outros casos: A imigração brasileira a Santiago (Chile) por razões de afetividade. Cadernos Prolam/USP - Brazilian Journal of Latin American Studies, v. 19, n. 36, p. 166-188, jan./jun. 2020. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/prolam/article/view/168319/161684. Acesso em: 04 jul. 2022.

MARTINS, J. R. V. Chile. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2016.

MASSEY, D. Economic development and international migration in comparative perspective. Population and Development Review, 14, 1988, p. 383-413.

NORONHA, C. L. A de. Quais os efeitos da economia étnica sobre a empregabilidade e os rendimentos dos imigrantes internacionais no mercado de trabalho brasileiro? Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal de Mias Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2013.

OIM - Organización Internacional para las Migraciones. Perfil Migratorio de Chile. Buenos Aires: Oficina Regional para América del Sur, 2011.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulinas, 2009.

SALINAS, S. Brasileiros e Ciências Sociais no Chile da Universidad Popular. Revista Eletrônica da ANPHLAC, Nº. 18, jan./jul. 2015, p. 121-138. Disponível em: https://revista.anphlac.org.br/anphlac/article/view/2246/2086. Acesso em: 04 jul. 2022.

SAYAD, A. A imigração ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: Edusp, 1998.

SCOPISI, C. Les sites web diasporiques : un nouveau genre médiatique? In: MATTELART, T. (Org.). TIC & DIASPORAS. Revista Tic & Societé, vol. 3, n. 1-2, 2009.

TRUZZI, O. Redes em processos migratórios. Tempo Social – Revista de Sociologia da USP, v. 20, n. 1, 2008, p. 199-218.

VERTOVEC, S. Transnationalism. New York, London: Routledge, 2009.

VIEIRA, P. Empreendedorismo emigrante português: o caso do ‘Mercado da Saudade’. Dissertação (Mestrado em Inovação e Empreendedorismo Tecnológico) – Universidade do Porto, Porto, 2014.

WASSERMAN, C. Transição ao socialismo e transição democrática: exilados brasileiros no Chile. Revista História Unisinos, 16 (1), Janeiro/Abril 2012, p. 82-92, Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/historia/article/view/htu.2012.161.07/833. Acesso em: 04 jul. 2022.

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

Escudero, C. (2022). Brasileiros no Chile: o funcionamento do ‘mercado da saudade’ via redes sociais virtuais transnacionais. Revista Extraprensa, 15(2), 146-165. https://doi.org/10.11606/extraprensa2022.199885