A terra treme no Haiti: a narração sequenciada na cobertura pelo Jornal Nacional

Autores

  • Mateus Elias dos Santos Universidade Federal de Viçosa
  • Soraya Maria Ferreira Vieira Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.11606/extraprensa2011.77238

Palavras-chave:

Linguagem, Narração sequenciada, Telejornalismo internacional

Resumo

A narração sequenciada consiste na atuação mais enfática do repórter de televisão no cenário onde se desdobram as cenas de um acontecimento. Tal técnica de relato jornalístico foi amplamente utilizada na cobertura do terremoto que atingiu o Haiti em janeiro de 2010. O presente artigo analisa matérias produzidas nesses moldes para o Jornal Nacional, o telejornal de maior audiência no Brasil, pelos enviados especiais da Rede Globo ao país Lília Teles e o cinegrafista Luiz Cláudio Azevedo. Nosso objetivo é traçar um panorama contendo as possibilidades e limites da narração sequenciada enquanto técnica de relato telejornalístico.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Elias dos Santos, Universidade Federal de Viçosa

Jornalista formado pelo Departamento de Comunicação Social (DCM) da Universidade Federal de Viçosa/MG (UFV).

Soraya Maria Ferreira Vieira, Universidade Federal de Viçosa

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e professora do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Viçosa/MG (UFV).

Downloads

Publicado

2011-06-29

Como Citar

dos Santos, M. E., & Vieira, S. M. F. (2011). A terra treme no Haiti: a narração sequenciada na cobertura pelo Jornal Nacional. Revista Extraprensa, 4(2), 38-56. https://doi.org/10.11606/extraprensa2011.77238