A questão do tempo originário na leitura heideggeriana da imaginação transcendental kantiana e sua relação com a meta de Ser e Tempo

Autores

  • Alexandre Guedes Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v25i4p119-128

Palavras-chave:

tempo originário, eu penso, imaginação transcendental, ontologia fundamental

Resumo

Na preleção, Kant e o problema da metafísica (1929), Heidegger diz que Kant, na segunda edição da Crítica da Razão Pura (1787), elimina a possibilidade de investigação do tempo originário como sendo a unidade das duas fontes do conhecimento (sensibilidade e entendimento), visto que a imaginação transcendental havia deixado de ter o destaque fundamental contido na primeira edição da obra (1781). Assim, nosso objetivo com o presente artigo é entender como, na leitura heideggeriana, a imaginação transcendental pode ser tomada como fonte do conhecimento a priori e, também, como, a partir dela, Heidegger tematiza a questão da temporialidade (Temporalität).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Guedes, Universidade Federal de Goiás

Bacharel, mestre e doutorando pela Universidade Federal de Goiás

Referências

Dastur, F. (1990). Heidegger e a questão do tempo. Tradução de João Paz. Lisboa: Instituto Piaget.

Dubois, C. (2004). HEIDEGGER: introdução a uma leitura. Tradução de Bernardo ___Barros Coelho de Oliveira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Heidegger, M. (1986). Kant y el problema de la metafísica. Traducción de Gred Ibscher Roth. México: Fondo de Cultura Económica.

Heidegger, M. (2012a). Ser e tempo. Tradução de Fausto Castilho. Rio de Janeiro: Vozes.

Heidegger, M. (2012b). Os problemas fundamentais da fenomenologia. Tradução de Marco Casanova. Rio de Janeiro: Vozes.

Kant, I. (2012). Crítica da Razão Pura. Tradução de Fernando Costa Mattos. Petrópolis: Vozes.

Downloads

Publicado

2020-12-26

Como Citar

Guedes, A. (2020). A questão do tempo originário na leitura heideggeriana da imaginação transcendental kantiana e sua relação com a meta de Ser e Tempo. Cadernos De Filosofia Alemã: Crítica E Modernidade, 25(4), 119-128. https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v25i4p119-128

Edição

Seção

Artigos