Mudança linguística no modo imperativo – uma análise multissistêmica

Autores

  • Henrique Santos Braga Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v13i1p51-62

Palavras-chave:

Modo imperativo. Variação e mudança linguística. Formas de tratamento. Polidez. Teoria multissistêmica.

Resumo

A partir de um corpus composto por textos dramáticos, produzidos no sudeste brasileiro entre 1850 e 1975, nossa pesquisa se destina a estudar o uso que os falantes fizeram, ao longo desse período, das formas do singular do modo imperativo. Nosso intuito foi investigar usos de épocas passadas, visando a identificar se, ao longo do tempo, além da variação é possível ainda observar um processo de mudança linguística envolvendo essas formas verbais. Para tratar do fenômeno em questão, optamos pela Teoria multissistêmica (Castilho, 2006) e ainda por sugestões metodológicas da sociolinguística variacionista para quantificar os dados em análise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Santos Braga, Universidade de São Paulo

Doutorando em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP)

Downloads

Publicado

2011-06-04

Como Citar

Braga, H. S. (2011). Mudança linguística no modo imperativo – uma análise multissistêmica. Filologia E Linguística Portuguesa, 13(1), 51-62. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v13i1p51-62

Edição

Seção

Artigos