[1]
W. Roth, “A semântica histórica: um campo abandonado da lingüística?”, Filol. Linguíst. Port., nº 2, p. 61-79, ago. 1998.