Efeitos do método Pilates sobre a função pulmonar, a mobilidade toracoabdominal e a força muscular respiratória: ensaio clínico não randomizado, placebo-controlado

  • Letícia Tiziotto de Jesus Universidade Metodista de Piracicaba; Graduação em Fisioterapia, Programa de Iniciação Científica FAPIC
  • Letícia Baltieri Universidade Estadual de Campinas; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Cirurgia
  • Luana Gomes de Oliveira Universidade Metodista de Piracicaba; Graduação em Fisioterapia, Programa de Iniciação Científica FAPIC
  • Liliane Rodrigues Angeli Clínica Spazio Corpus Pilates
  • Silvia Patrícia Antonio Clínica Fisiocap
  • Eli Maria Pazzianotto-Forti Universidade Metodista de Piracicaba; Programa de Mestrado em Fisioterapia e Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano; Curso de Graduação em Fisioterapia

Resumo

O método Pilates pode ser uma ferramenta eficaz para o fisioterapeuta na reabilitação, pois apresenta benefícios variados e poucas contraindicações. Embora largamente praticado pela população, a literatura é escassa quanto aos seus benefícios relacionados ao sistema respiratório. O objetivo deste estudo foi avaliar a influência do método Pilates sobre a função pulmonar, mobilidade toracoabdominal, força muscular respiratória e características antropométricas em mulheres saudáveis. Trata-se de um ensaio clínico não randomizado, placebo-controlado com 21 voluntárias, que foram alocadas por conveniência em dois grupos: Pilates com 11 voluntárias, com idade de 33,18±8,08 anos, submetidas ao método Pilates duas vezes por semana durante três meses e Controle com 10 voluntárias, com idade de 31,70±7,39 anos que permaneceram três meses sem a realização de exercícios físicos regulares. Todas foram submetidas à avaliação antropométrica, questionário de atividade física de Baecke, função pulmonar por espirometria, mobilidade toracoabdominal por cirtometria e força muscular respiratória pelas medidas das pressões respiratórias máximas obtidas por meio de um manovacuômetro. Todas as voluntárias foram avaliadas antes da inserção nos grupos e reavaliadas após três meses. No Grupo Pilates houve aumento significativo da atividade física de lazer e no total do questionário de atividade física, aumento da mobilidade nos três níveis (axilar, xifoidiano e abdominal), da força muscular respiratória, tanto inspiratória como expiratória, bem como redução significativa da circunferência da cintura (CC) (p<0,05), após três meses de intervenção. Entretanto, com exceção da atividade física de lazer e no total do questionário de atividade física, quando comparados os grupos, não foram constatadas diferenças significativas (p>;0,05). Para a função pulmonar, não foram constatadas diferenças significativas (p>;0,05) entre os grupos e tampouco entre seus integrantes. Conclui-se que, após a prática do método Pilates, houve melhora na atividade física de lazer, mobilidade toracoabdominal, força muscular respiratória e redução da circunferência da cintura. No entanto, em comparação ao Grupo Controle, o método Pilates não promoveu alterações relevantes na função pulmonar, mobilidade toracoabdominal, força muscular respiratória e características antropométricas de mulheres saudáveis que não realizaram programa de exercício físico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-09-01
Como Citar
Jesus, L., Baltieri, L., Oliveira, L., Angeli, L., Antonio, S., & Pazzianotto-Forti, E. (2015). Efeitos do método Pilates sobre a função pulmonar, a mobilidade toracoabdominal e a força muscular respiratória: ensaio clínico não randomizado, placebo-controlado . Fisioterapia E Pesquisa, 22(3), 213-222. https://doi.org/10.590/1809-2950/12658022032015
Seção
Artigos