Qualidade de vida e capacidade para o trabalho de bombeiros

  • Heloisa Giangrossi Machado Vidotti Centro Universitário Central Paulista; Curso de Fisioterapia
  • Vitória Helena Maciel Coelho Centro Universitário Central Paulista; Curso de Fisioterapia
  • Dernival Bertoncello Universidade Federal do Triângulo Mineiro; Instituto de Ciências da Saúde; Departamento de Fisioterapia Aplicada, Programa de Pós-Graduação em Educação Física
  • Isabel Aparecida Porcatti de Walsh Universidade Federal do Triângulo Mineiro; Instituto de Ciências da Saúde; Departamento de Fisioterapia Aplicada, Residência Multiprofissional em Saúde

Resumo

As atribuições relacionadas a atividades perigosas ocasionam, muitas vezes, sérios riscos à saúde, exigindo atenção, alta carga de cognição, rápidas e precisas tomadas de decisão e constante estado de alerta que podem influenciar na capacidade de trabalho e qualidade de vida dos bombeiros. O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade de vida e a capacidade para o trabalho em bombeiros de um município do interior paulista. Foram coletadas informações sobre idade; estado civil; escolaridade, tempo na função e prática de exercícios físicos e utilizados o questionário SF-36 e o índice de capacidade para o trabalho. Os dados foram analisados descritivamente por meio de frequências e porcentagens. Para análise das associações entre as variáveis foram utilizados os testes de correlação de Pearson e Spearman. Trinta bombeiros, homens, com idade média de 38,2 (±5,63) anos participaram deste estudo. Encontrou-se maior valor do SF-36 no domínio capacidade funcional e menor valor no domínio dor. Nenhum dos sujeitos demonstrou capacidade baixa para o trabalho na categoria pobre, 10% deles apresentaram capacidade moderada, 36,7% boa e 53,3% ótima. A correlação entre idade e tempo na função foi muito boa. Todos os domínios da qualidade de vida correlacionaram-se significativamente com a capacidade para o trabalho. A percepção de uma boa qualidade de vida expressou-se também em uma boa capacidade para o trabalho. Essas avaliações podem auxiliar a priorização e identificação de trabalhadores que necessitam do apoio dos serviços de saúde ocupacional e direcionar intervenções para melhorias no ambiente ou nas condições de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-09-01
Como Citar
Vidotti, H., Coelho, V., Bertoncello, D., & Walsh, I. (2015). Qualidade de vida e capacidade para o trabalho de bombeiros . Fisioterapia E Pesquisa, 22(3), 231-238. https://doi.org/10.590/1809-2950/13125822032015
Seção
Artigos