Efeitos de dois protocolos de fisioterapia respiratória na mecânica respiratória e parâmetros cardiorrespiratórios de pacientes em ventilação mecânica: estudo piloto

Autores

  • Fernanda Klose Preuss Universidade Federal de Santa Maria
  • Fernanda Vianna Schmitt Secretaria da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul
  • Janice Cristina Soares Hospital Universitário de Santa Maria
  • Isabella Martins de Albuquerque Universidade Federal de Santa Maria; Departamento de Fisioterapia e Reabilitação
  • Maria Elaine Trevisan Universidade Federal de Santa Maria; Departamento de Fisioterapia e Reabilitação

DOI:

https://doi.org/10.590/1809-2950/13452522032015

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar os efeitos de dois protocolos de fisioterapia respiratória na mecânica respiratória e parâmetros cardiorrespiratórios de pacientes em ventilação mecânica comparando-os com um protocolo de aspiração traqueal. Estudo piloto com desenho quase-experimental com 50 pacientes, randomizados em grupo GI (n=16): grupo controle, realizado aspiração traqueal; GII (n=17): realizado vibrocompressão e aspiração traqueal; GIII (n=17): realizado vibrocompressão, aspiração e hiperinsuflação pelo ventilador mecânico. As variáveis analisadas foram: frequência cardíaca (FC), frequência respiratória, pressão arterial sistêmica, saturação periférica de oxigênio, complacência pulmonar estática, complacência pulmonar dinâmica e resistência das vias aéreas. Estas foram registradas em três momentos: antes dos procedimentos (M1), imediatamente após (M2) e 15 minutos após (M3). Para comparar o efeito e analisar a interação entre tempo de mensuração e grupos, utilizou-se a ANOVA Two-Way e post hoc de Tukey. O tamanho do efeito foi determinado pelo cálculo f2 de Cohen e a análise estatística pelo programa SPSS para Windows (versão 20), nível de significância de 5%. Na comparação intragrupo não foram observadas diferenças, enquanto na comparação entre grupos a variável FC apresentou diferença entre o GI e GII no M2 (p=0,02). Os resultados sugerem que os protocolos de fisioterapia respiratória avaliados não promoveram benefícios quanto à mecânica respiratória, entretanto se mostraram seguros em termos de parâmetros cardiorrespiratórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2015-09-01

Como Citar

Preuss, F. K., Schmitt, F. V., Soares, J. C., Albuquerque, I. M. de, & Trevisan, M. E. (2015). Efeitos de dois protocolos de fisioterapia respiratória na mecânica respiratória e parâmetros cardiorrespiratórios de pacientes em ventilação mecânica: estudo piloto . Fisioterapia E Pesquisa, 22(3), 246-252. https://doi.org/10.590/1809-2950/13452522032015

Edição

Seção

Artigos