Comparação da cifose torácica entre o paciente com doença pulmonar obstrutiva crônica e o indivíduo saudável pelo método flexicurva

  • Márcia Aparecida Gonçalves Universidade Estadual de Santa Catarina
  • Patrícia Leite Rodovalho Universidade Estadual de Santa Catarina
  • Angela Jacques Bellini Universidade Estadual de Santa Catarina
  • Ana Karla Vieira Brüggemann Universidade Estadual de Santa Catarina; Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano
  • Giovana Zarpellon Mazo Universidade Estadual de Santa Catarina; Departamento de Graduação e Pós-Graduação em Fisioterapia
  • Elaine Paulin Universidade Estadual de Santa Catarina; Departamento de Graduação e Pós-Graduação em Fisioterapia

Resumo

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é caracterizada pela obstrução do fluxo aéreo, aprisionamento de ar e pela hiperinsuflação pulmonar. Esses fatores fisiopatológicos podem comprometer a mobilidade diafragmática, causar deformidades na caixa torácica e consequentemente aumentar o ângulo da curvatura torácica. Comparamos o ângulo da curvatura torácica entre pacientes com DPOC e indivíduos saudáveis pelo método flexicurva. Participaram do estudo 37 pacientes com DPOC e 37 indivíduos saudáveis. Todos os indivíduos realizaram as seguintes avaliações: antropometria, espirometria e mensuração do ângulo da curvatura torácica. Os dados foram analisados e tratados com análise descritiva como média e desvio-padrão. O teste de Shapiro-Wilk foi utilizado para verificar a normalidade dos dados. O teste t de Student foi utilizado para comparar o ângulo da curvatura torácica dos pacientes portadores de DPOC com os indivíduos saudáveis. O nível de significância adotado foi de 5%. A média de idade do grupo com DPOC foi de 65,70±7,91 anos, o índice de massa corporal (IMC), 26,73±5,34kg/m2, e VEF1 (% previsto), 50,65±19,08, apresentando grau de obstrução moderada. Os indivíduos saudáveis apresentaram em média 62,49±7,27 anos, IMC de 26,97±3,55kg/m² e VEF1 (% previsto) de 94,05±9,44. Não houve diferença significante entre os pacientes com DPOC e os indivíduos saudáveis no ângulo da curvatura torácica: 56,67±11,31 e 55,42±9,61 graus, respectivamente (p=0,61). O método flexicurva mostrou-se uma ferramenta útil e prática para avaliar a cifose torácica, identificando que não houve diferença entre as curvaturas torácicas dos pacientes com DPOC com obstrução moderada e dos indivíduos saudáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-09-01
Como Citar
Gonçalves, M., Rodovalho, P., Bellini, A., Brüggemann, A., Mazo, G., & Paulin, E. (2015). Comparação da cifose torácica entre o paciente com doença pulmonar obstrutiva crônica e o indivíduo saudável pelo método flexicurva . Fisioterapia E Pesquisa, 22(3), 333-339. https://doi.org/10.590/1809-2950/14468822032015
Seção
Artigos