Relação da pressão plantar e amplitude de movimento de membros inferiores com o risco de quedas em idosas

Autores

  • Mayara Luca Vareschi Lopes Universidade Norte do Paraná
  • João Paulo Manfre dos Santos Universidade Norte do Paraná
  • Karen Barros Parron Fernandes Universidade Norte do Paraná
  • Fernando Raphael Pinto Guedes Rogério Universidade Norte do Paraná
  • Rosemari Queiroz de Freitas Universidade Norte do Paraná
  • Deise Aparecida de Almeida Pires-Oliveira Universidade Norte do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.1590/1809-2950/14871123022016

Resumo

Objetivou-se verificar a influência das variáveis de pressão plantar e amplitude de movimento (ADM) de quadril, joelho e tornozelo sobre o risco de quedas em idosas. Participaram 39 idosas, avaliando-se a Pressão Máxima e Média sobre a plataforma de baropodometria. Em seguida, realizou-se o teste Timed Up and Go (TUG) e posteriormente a avaliação da ADM de flexão de quadril e joelho e flexão plantar e dorsal de tornozelo por meio de um goniômetro. As variáveis baropodométricas (Pressão Máxima e Pressão Média) tenderam a influenciar os valores do TUG conforme valor do teste de hipótese (p=0,051), demonstrando correlação moderada (r=0,487), com destaque para a Pressão Máxima, que apresentou correlação significativa com o TUG (p<0,005). Entretanto, a ADM articular de quadril, joelho e tornozelo não apresentaram correlações significativas entre as variáveis baropodométricas e risco de quedas. Sobre a análise da associação entre o TUG, categorizado em baixo e médio risco de quedas, e as quedas, não foram observadas diferenças (p=0,475). O aumento da pressão máxima apresentou relação com o risco de quedas, mas a ADM de quadril, joelho e tornozelo não apresentaram relação sobre o risco de quedas e as variáveis baropodométricas na população investigada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-06-01

Como Citar

Lopes, M. L. V., Santos, J. P. M. dos, Fernandes, K. B. P., Rogério, F. R. P. G., Freitas, R. Q. de, & Pires-Oliveira, D. A. de A. (2016). Relação da pressão plantar e amplitude de movimento de membros inferiores com o risco de quedas em idosas . Fisioterapia E Pesquisa, 23(2), 172-177. https://doi.org/10.1590/1809-2950/14871123022016

Edição

Seção

Pesquisa Original